Por tradição a temporada taurina portuguesa inicia a 1 de fevereiro na Praça de Touros de Mourão, momento em que se renovam expetativas para mais uma temporada de uma cultura marcadamente portuguesa.

O Toureio.pt contactou o Presidente da Direção da Associação Portuguesa de Empresários Tauromáquicos, Paulo Pessoa de Carvalho, a fim de nos fazer a antevisão de mais uma temporada que se inicia. Uma pequena entrevista que passamos a transcrever:

Toureio.pt (T) - A temporada inicia-se a 1 de fevereiro, que expectativas têm os empresários tauromáquicos para 2018?

Paulo Pessoa de Carvalho (PPC) – Será uma temporada de maior responsabilidade no que toca a organizações cada vez mais sérias e profissionais, não temos margem para amadorismo e incumprimentos, há que tomar cada vez mais o caminho da qualidade e não o da quantidade.

T - Em termos de número de espetáculos o que se pode prever para 2018?

PPC – Diria que um ano idêntico a 2017, por aí…

T - Considera que nesta temporada os aficionados vão apostar ainda mais forte nos espetáculos de qualidade, tal como aconteceu em 2017?

PPC - Claramente que sim! O aficionado está mais exigente e já não vivemos dias de se “ir a todas”, quem quiser êxito (salvo raras exceções) nas suas organizações, ou prima pela qualidade ou está em maus lençóis!!!

T- Recentemente ocorreu uma reunião da Protoiro no Ministério da Cultura, perguntava-lhe se será este ano que o IVA cultural regressa ao valor mínimo?

PPC - Não sabemos, será difícil mexidas no IVA no atual quadro do OGE. No entanto, é uma causa pela qual continuamos a lutar e acredito ser possível essa mais que justa e merecida correção

T- Que impacto poderia esta descida ter na tauromaquia?

PPC - Uma ligeira melhoria, mas acima de tudo justiça e equidade de direitos. Continuo a dizer que a qualidade será o grande fator diferencial e o que fará o público ir às bancadas.

T - Para terminar, há vários meses que está demissionário da Direção da APET, quando se prevê uma resolução para esse problema?

PPC - Vou chamar situação e não problema. Enquanto o presidente da AG da APET não se pronunciar a situação não será resolvida, o que pelo andar do assunto, não será antes da AG da APET de Março 2018. Neste momento tem que se continuar a trabalhar e nos últimos meses trabalhou-se muito, assim e como a vida não para, até com este meu abrandamento da atividade, dediquei mais algum tempo à causa da Tauromaquia (APET e PRÓTOIRO), por isso vou esperar calmamente pela AG de Março e perceber o que é que os associados da APET pretendem para o futuro e se perceber que existe uma consciência generalizada de necessidade de evolução de adaptação ao atual momento das nossas vidas, tentarei ajudar a encontrar uma solução séria, que da melhor forma possa servir a APET e os interesses no futuro, da festa de toiros.

 

O Toureio.pt confrontou ainda Paulo Pessoa de Carvalho sobre algumas notícias que davam conta de uma suspensão da sua atividade empresário, tendo-nos respondido que “irei apenas fazer uma redução substancial, mas o que fizer irão ser poucas mas boas”

Go to top