A Praça de Arronches recebe anualmente um festival taurino a favor dos Forcados locais, um espetáculo que nos últimos anos tem vindo a perder qualidade e consequentemente público, registando neste sábado (8 de abril) um fraco ¼ de casa numa praça.

É um caso a refletir, pois sendo um espetáculo a favor de um fundo de assistência e se ano após ano o resultado não é melhor, não se compreende porque se continua com um festival que a olhar pela adesão de público, só pode dar prejuízo.

Neste sábado anunciavam-se os cavaleiros Francisco Cortes, Marco José, Gonçalo Fernandes, João Salgueiro da Costa, Verónica Cabaço e Soraia Costa, bem como os Forcados Amadores de Azambuja, Arronches e Coimbra, perante astados de Isidro dos Reis.

Comecemos pelos novilhos/touros que saíram à arena de Arronches dando jogo desigual e de díspar apresentação e é aqui que volto a dizer que nos festivais o publico paga na mesma bilhete logo merece respeito. Os festivais não podem ser vistos como brincadeiras ou treinos para os toureiros.

No que diz respeito aos cavaleiros pouco há a dizer, a não ser que foi uma tarde de treino para os seis cavaleiros, pois tiveram pela frente novilhos/touros pequenotes e serviu perfeitamente para estrear cavalos novos, como aconteceu com Salgueiro da Costa, este que foi aquele que mais se destacou.

Francisco Cortes, realizou uma lide bem ao seu estilo, perante um novilho algo andarilho; Marco José, teve pela frente um touro que logo cedo ganhou crença, realizou assim uma lide regular; Gonçalo Fernandes, aproveitou o astado que tinha pela frente, realizando também uma lide regular; João Salgueiro da Costa, enfrentou o novilho mais colaborante e aproveitou da melhor forma presenteando com uma lide agradável, no final o novilho tanto correu que caiu para o lado…; Verónica Cabaço entrou na arena com uma ambição reforçada e isso notou-se, deixando bons apontamentos, assim como Soraia Costa que mostrou querer e intenção de querer fazer as coisas bem.

No que diz respeito os Forcados, a tarde não teve problemas de maior e os que houve foi por culpa dos forcados. Pelos Amadores da Azambuja foi cara Valter Soares, á segunda, pelos de Arronches pegaram Fábio Rita, à primeira e pelos de Coimbra, Nuno Afonso, à terceira e Pedro Casalta, á primeira. O novilho lidado por Salgueiro da Costa, mesmo antes da pega inutilizou-se, sendo que a pega do novilho lidado por Verónica Cabaço foi pegado num misto dos Amadores da Azambuja e Arronches, sendo cara Renato Pereira, à segunda tentativa.

O espetáculo foi dirigido pelo Sr. Marco Gomes assessorado pelo Dr. José Guerra.

De salientar que a banda que abrilhantou o festejo estreou um pasodoble dedicado ao Grupo de Arronches, tendo no intervalo o Maestro Vasco Viana entregue a partitura do mesmo, ao grupo.

Go to top