Corrida de encerramento da temporada número cento e vinte cinco da praça de toiros do Campo Pequeno. Uma corrida de gala a antiga Portuguesa, também outrora chamada de “corrida de aparato”. Uma casa completamente esgotada para assistir a um espectáculo triunfal a todos os níveis.

Rui Salvador destoou um pouco deste cartel, metido entre a juventude, acusou a falta de condições para acompanhar os seus colegas de cartel; uma lide sem história que ainda assim foi premiada com música e com volta, pelo Director Sr Rogério Jóia, e Rui acedeu a dar essa volta….

Todos os outros podemos dizer que triunfaram em valores e tonalidades diferentes mas sempre com nota muito alta.

Rui Fernandes lidou com a sua alegria e arrojo o segundo da noite, cites alegres e ferros de boa nota experimentado vários terrenos foram a tónica da primeira grande actuação da noite.

Moura Caetano mostrou mais uma vez o grande momento que atravessa, uma lide com um temple inconfundível suavizando as investidas de um toiro que foi premiado com volta, tudo nas medidas e tempos certos, grandes ferros.

Manuel Telles Bastos arriscou e ganhou, em sorte de gaiola o primeiro comprido, os ferros da noite foram dele, ao estribo e cravados de alto a baixo como mandam as mais exigentes regras. Uma lide para verdadeiros aficionados.

João Moura Jr veio por todas, uma lide sem tempos mortos e sempre em crescendo, acabando com o publico em completo alvoroço, Moura Jr foi o mais aplaudido da noite.

Fechou a noite Luis Rouxinol Jr com uma agradável actuação que rubricou da melhor forma a temporada da capital mundial do toureio.

Grandes pegas de dois grandes grupos de forcados.

Pelos amadores de Évora: Gonçalo Pires e Manuel Rovisco ambos á primeira tentativa, o Cabo João Pedro Oliveira pegou á segunda tentativa.

Pelos forcados amadores de Vila Franca de Xira foram caras Vasco Pereira e Francisco Faria os dois á primeira tentativa e Rui Godinho á segunda tentativa.

No inicio da corrida foi prestada homenagem com a atribuição do Galardão Prestigio á: Associação Nacional dos Toureiros Portugueses; Associação Nacional dos Grupos de Forcados e Associação Portuguesa de Criadores de Toiros de Lide; “como motivo de recordar e premiar todos aqueles (artistas e ganadeiros) que, ao longo de cento e vinte cinco anos contribuíram, com o seu esforço, arte e dedicação para a expansão e engrandecimento da festa dos toiros”. No intervalo foi também prestada homenagem á Grafica Pesistente pelos seus 85 anos de vida e pela relação á festa brava, mormente ao Campo Pequeno que já vem desde a década de cinquenta.

Uma corrida, que como já referimos contou com casa esgotada, e com “honras” de transmissão televisiva, que anunciada em diferido com meia hora de atraso, apenas foi transmitida mais de uma hora depois; mais uma vez um péssimo serviço público do director de programas da RTP Daniel Deusdado…

Forte presença de políticos nas bancadas como nunca se tinha visto, deputados, presidentes de câmaras, ex ministros etc.

Mais uma vez o Presidente da República não marcou presença; depois de não estar na corrida do aniversário e ter anunciado que iria estar presente nesta do encerramento. Lamentável!!

Go to top