A Praça de Touros Palha Blanco em Vila Franca de Xira abrir as suas portas nos próximos dias 1 e 5 de outubro para receber a tradicional minifeira taurina por ocasião da Feira de Outubro de Vila Franca.

O Toureio.pt foi ao encontro do empresário Paulo Pessoa de Carvalho e fazer uma antevisão destes espetáculos.

Uma entrevista que passamos a apresentar de seguida:

Toureio.pt (T) - Na antevisão de mais uma Feira de Outubro em Vila Franca de Xira, questiono se os cartéis desta feira são os desejados ou os possíveis? E nesse sentido que justifique.

Paulo Pessoa de Carvalho (PPC) – São os desejáveis. Na verdade estava estipulado inicialmente e com a corrida dia 1 de Outubro, outro cartel para a corrida mista na parte equestre. Com a mudança de data houve alterações, mas alterações que em nada minimizam a categoria do cartel, são coisas diferentes e igualmente boas, por isso e perante os factos, estes são os carteis desejáveis na data em que acontecem e para ambos estou com muita expectativa.

T - Porquê a escolha da família Telles para a primeira corrida? Embora com conceitos de toureio distintos, a escola é a mesma...

PPC – Porque eu sou um adepto da família Ribeiro Telles em todo o sentido. Porque a família Ribeiro Telles tem cartel em Vila Franca e nunca houve apesar disso, nenhuma corrida a solo com três toureiros da casa, será pela primeira vez na história da Palha Blanco e da Família Ribeiro Telles, que haverá um pleno!. Porque é uma corrida carregada de interesse numa das suas praças prediletas e estou certo que se cria um "ambientaço" à antiga, que haverá uma corrida de toiros com a emoção e o calor daquelas que assistíamos há umas décadas atrás!

T - Pegam em solitários os forcados da terra. Podemos afirmar que se mantém a tradição?

PPC – Com certeza que sim, esta é a corrida tradicionalmente escolhida para o GFAVFX se encerrar na sua terra a solo com 6 toiros, este ano não será diferente, aliás, este ano será carregado de um simbolismo importante, pois será homenageado um dos cabos mais carismáticos do GFAVFX, o José Carlos de Matos!

T - Porquê a escolha da ganadaria de Santa Maria?

PPC – Na verdade havia outras possibilidades e opções, mas a ganadaria em causa tinha um curro perfeito, o qual com a anulação da corrida de Setembro do Campo Pequeno ficou disponível e nesse sentido não houve que hesitar! É a ganadaria certa na data certa, para toureiros e forcados, que têm competências de sobra para toiros de verdade.

T - Relativamente à corrida de dia 5 de outubro, uma corrida mista onde se apresenta o espanhol Juan Leal. Porquê esta escolha? Seguiu a opinião dos aficionados? Foi um gosto pessoal? Ou foi por indicação de alguém em concreto?

PPC- Tive oportunidade de conhecer pessoalmente o Juan Leal e vê-lo tourear, pessoalmente o seu toureio encanta-me, num estilo de alguma forma tremendista mas por outro lado com uma seriedade e temple que merecem pisar a Palha Blanco, espero que triunfe e seja um sucesso a sua passagem pela mais exigente praça de toiros portuguesa. A escolha foi totalmente minha, mas sei que é com alguma expectativa que muitos aficionados esperam poder ver a sua passagem na Palha Blanco.

T - Alternará com Leal, o português Nuno Casquinha, podemos dizer que é uma oportunidade há muito pedida por Casquinha que regressa assim à Palha Blanco...

PPC – O Nuno Casquinha desde a primeira hora que estava nas minhas previsões enquanto empresário de o trazer à Palha Blanco, chegou a hora. É na minha última organização enquanto empresário da Palha Blanco neste período de 3 anos, não veio antes por fatores diversos, mas posso dizer que vem na hora certa. Está um toureiro maduro, com muito mais arte e garra, esta sua campanha sul-americana fez do Nuno Casquinha um toureiro maduro e com uma segurança tremenda, diria que vamos ter um Nuno Casquinha como nunca o vimos, que a sorte o bafeje!

T - Os dois cavaleiros são garantia de qualidade e de luta pelo triunfo. Foi uma escolha óbvia e fácil?

PPC – Com a mudança de data, foi uma escolha fácil e quanto a mim muito acertada. A Ana Batista é uma toureira recheada de classe e elegância, com uma notável equitação e que torna fácil o difícil, o Francisco Palha a irreverência dentro do clássico, um toureiro que a cada momento se pode esperar uma surpresa, que melhor dupla para esta corrida? Também acho bonito numa lide a duo uma mulher e um homem, dão outra expressão à lide, outra classe.

T- As ganadarias para esta corrida, Passanha e Santa Maria, foram impostas pelos artistas, escolhidas por si ou outro motivo? O que fundamentou esta escolha?

PPC – Caro Hugo, até pode haver ganadarias impostas pelos artistas, mas eu normalmente não contrato artistas que imponham ganadarias. Há como sempre um respeito pelos artistas mas acima de tudo terá que haver pelo público, nesse sentido, as possibilidades são colocadas em cima da mesa e tomam-se as decisões que têm que ser tomadas. Estas ganadarias reuniam o que se pretendia, apresentação, trapio e condições de lide à partida, nesse sentido foram as escolhas certas e adequadas à situação, escolhas essas nas quais fui soberano na decisão tomada.

T - Vila Franca tem um público exigente. Ouviu os aficionados locais na montagem desta feira?

PPC – Não muito mais que em outros casos. Ouço sempre qualquer coisa porque acho importante, mas não em demasia, pois se me ponho a jeito falo com 50 pessoas e tenho 50 cartéis. Aqui temos que ter bom senso, conhecer minimamente a terra e com esses considerandos, juntar um espirito empresarial e de aficionado à coisa, para que surja o cartel ideal ou lá perto, aquele que acreditamos que no meio de tudo, será a melhor solução! É no fim que se vê se acertámos ou não, já fiz coisas que pensei boas e se mostraram menos boas e vice-versa, coisa que achei que podiam ser melhores e resultaram em sucesso. Isto quer dizer que nos toiros não há resultados antes do jogo, podemos escolher as melhores equipes e o jogo ser mau, ou ter equipes de meio da tabela e o jogo ser extraordinário.

T - Vão ser feitas homenagens nesta feira. Quais e porquê?

PPC – Vai ser feita uma homenagem a um antigo cabo do GFAVFX, simplesmente porque é merecida. O José Carlos de Matos, foi um dos mais emblemáticos cabos do GFAVFX, por isso mesmo e por ser na corrida do seu grupo, decidiu-se que esta corrida no próximo dia 3 de Outubro seria o momento certo para o homenagear e lhe agradecer o contributo dado à festa de toiros e em concreto ao GFAVFX!

T - Qual a sua opinião sobre as homenagens na Tauromaquia e em especial nos espetáculos tauromáquicos? São um verdadeiro reconhecimento ou em certos casos apenas um aproveitamento?

PPC – Infelizmente há de tudo. Eu só me revejo na primeira hipótese e por isso mesmo recuso-me comentar outra qualquer. Homenagens são por mérito próprio, sejam em vida ou sejam póstumas, apenas quem fez alguma coisa de válido e publicamente reconhecido deverá ser publicamente homenageado e se em vida melhor! No caso em concreto não há qualquer dúvida de quem foi o José Carlos de Matos nem o que fez, que momento melhor do que no momento de exaltação ao forcado ao "seu" grupo para o homenagear? Que esta homenagem lhe dê muitos anos de vida pela alegria que lhe possa dar é o meu desejo, que a possa partilhar com a família e com os Amigos, pois ele bem a merece!

T - Quais os maiores desafios para montar esta Feira? Foi difícil contratar os toureiros pretendidos?

PPC – Os maiores desafios são conseguir montar uma feira que esteja ao nível da Palha Blanco, disso não há dúvida. Não foi difícil contratar toureiros, pois quando se pensa numa coisa, se sente que é assim que tem que acontecer, quando os envolvidos estão por dentro do espirito, as coisa fluem e acontecem naturalmente. Estão reunidos nesta feira os intervenientes que eu quis, toureiros, toiro se forcados.

T - Em Vila Franca há uma equipa médica. Vai reforçar esta equipa depois das mortes de dois forcados? Que medidas adicionais de segurança tomará?

PPC – Não há que reforçar a melhor equipe de médicos existente em Portugal e quiçá em praças de toiros por esse mundo fora! O Dr. Luis Ramos e a sua equipe, fazem toda a assistência médica na Palha Blanco com um grau de profissionalismo e competências ímpar em Portugal e como disse em todo o mundo taurino. Nada há a mudar ou a corrigir neste caso, só há a imitar pelas restantes praças de toiros, uma tentativa de aproximação ao que é a equipe médica da Palha Blanco. Como disse tudo o que é possível prever está previsto, espero que a equipe médica da Palha Blanco não tenha que mostrar do que é capaz e que a sorte proteja os toureiros!

T - Já que falamos neste assunto, como empresário como viu as declarações do conhecido médico-cirurgião António Peças?

PPC – Não tenho quaisquer comentários a fazer, este não é o local, este não é o momento.

T - A temporada da sua empresa não termina aqui em Vila Franca. O que falta?

PPC – Depois da Vila Franca e dos recortadores dia 7 de Outubro, haverá Vila Boim dia 14 de Outubro com um extraordinário festival em que como costumo dizer, se começa a apontar baterias para a Golegã, mas o encerramento definitivo da minha temporada taurina, será no dia 21 de Outubro com o festival de homenagem ao José Palha com um cartel composto pelos toureiros e forcados com quem o "nosso querido" Zé Palha tinha uma maior relação e amizade. Penso que será o melhor encerramento possível de ciclo na Palha Blanco!

T - Que mensagem quer deixar aos aficionados sobre esta Feira?

PPC – Que a disfrutem, que percebam o que está por de trás de cada decisão e que entendam que todas as decisões tomadas foram-no, no sentido de privilegiar Vila Franca de Xira e a sua PALHA BLANCO!

Go to top