Uma das modas que veio para ficar é a das raspadinhas, atualmente é rara a pessoa que pelo menos uma vez por semana não compre e raspe uma raspadinha, sendo o jogo da Santa Casa da Misericórdia que mais rende.

A raspadinha é como todos sabem um jogo de sorte ou azar e confesso que no meu caso, porque não fujo à regra, a sorte é pouca, sendo mais as raspadinhas sem premio que compro, que os prémios que ganho, ou seja, no final o resultado é prejuízo.

Na minha terra quando não se ganha dinheiro nas raspadinhas ou noutro jogo desse tipo, diz-se que “é só jogo branco”.

Ao ler o que escrevi anteriormente, deve estar a perguntar, mas o que tem isto a ver com a Tauromaquia? Ao que eu respondo, atualmente tem tudo a ver, ou melhor, as raspadinhas e a Tauromaquia em Portugal têm muito em comum atualmente.

Vou então desmontar esta minha comparação, que à primeira vista parece absurda mas se analisarmos bem a comparação pode ser feita.

Ora bem, comecemos pela raspadinha, que podemos comprar dez de 1 euro, e não sai premio, ou seja, foi jogo branco, ou se comprarmos as mesmas dez de 1 euro e o premio for de 5 euros, ai continua a haver prejuízo, e se o prejuízo se repetir noutras compras, é óbvio que chego a um ponto e deixo de comprar….

Na Tauromaquia é isto que está a acontece um aficionado que vá a duas ou três corridas de touros e sai de lá com a opinião que “hoje não valeu nada” e pode ter o sentimento de não querer voltar a gastar dinheiro neste tipo de espetáculo. Mas esse mesmo aficionado pode ainda pode insistir e mais duas ou três e se apenas uma for boa, continua na mesma com o sentimento de prejuízo. Se fizermos uma sondagem pelos aficionados, podemos constatar que até ao momento foram poucas as corridas em que o aficionado saiu com o sentimento de que o dinheiro gasto valeu a pena, praticamente contam-se pelos dedos das mãos o número de corridas boas.

É caso para refletir, pois se continuarmos a ter corridas sem emoção, artistas mal preparados e outros a arriscarem pouco e ainda outros muito vistos, começamos a ter cada vez mais os aficionados cansados e sem vontade de ir novamente a uma praça de touros.

Temos todos de pensar de forma a não dar só jogo branco aos aficionados, mas sim começar a dar cada vez mais “prémios chorudos”…

Go to top