A tauromaquia regressa à TVI na próxima sexta-feira, na celebração dos 125 anos, desde a inauguração, da Praça de Touros do Campo Pequeno. Cinco anos depois...mas em diferido.

Aquilo que podia ser uma vitória da tauromaquia, acaba por ser uma migalha de alegria para os aficionados. O Campo Pequeno é a primeira praça do país e jamais em tempo algum faria sentido que nos seus 125 anos houvesse uma transmissão em diferido. Ou era em directo ou melhor seria não fazer, e posteriormente passar no Campo Pequeno TV.

A tauromaquia é uma das mais antigas tradições e tem que ser defendida como tal. Se fazem falta mais transmissões televisivas? Obviamente que sim! Mas em directo, porque para ver em diferido ou à posteriori existe a RTP Memória que inclusive já está na TDT e portanto acessível a todos. Quanto aos defensores dos animais (os aficionados também o são), ou se preferirmos anti-taurinos que não gostam, pois há uma enorme variedade de canais pelos quais podem optar aquando das transmissões televisivas.

Ainda no que respeita a transmissões televisivas, na passada sexta-feira a RTP transmitiu a corrida de touros a partir da Figueira da Foz. José Cid falou e mostrou que a sua arte maior é compor, escrever e cantar. Colocar silicone nos touros? Tradição sanguinária? Pois isto e muito mais pode ser revisto, bastando para isso fazer uma viagem na box e re(ouvir) tudo o que o músico disse. Mas a pergunta é: José Cid pagou bilhete ou foi convidado pela produção do espectáculo? E se é uma tradição sanguinária, então que fazia lá?

A tauromaquia será sempre um assunto polémico e nada consensual. Terá que existir respeito pelos que são a favor e pelos que são contra. O que não pode existir é um ataque constante entre uns e outros. Sim, porque a língua camoniana é vasta e permite defender um propósito sem ter que atacar outro.

Quanto às transmissões televisivas, sou da opinião que não fazem falta à tauromaquia. No dia em que os agentes da festa quiserem, haverá um canal apenas dedicado aos touros (que não o Campo Pequeno TV) e que bem gerido poderá ser uma fantástica fonte de receitas, marcando definitivamente uma viragem na valorização das transmissões televisivas relativamente à tauromaquia.

Go to top