A Tauromaquia “é uma actividade que está inserida como cultural e como tal, o poder público tem de dar apoio dentro das regras próprias”, diz Autarca de Coruche (c/som)

A Arena da Praça de Touros de Coruche recebeu este domingo, 1 de Março, o acto de apresentação da temporada 2020.

Uma cerimónia, à qual acorreram dezenas de aficionados e agentes da festa, na que foi apresentada a Associação Nossa Praça, tendo estado ainda presente o Presidente da Câmara de Coruche, Francisco Oliveira, que proferiu algumas palavras assim como o ganadeiro António Teixeira e o cavaleiro João Ribeiro Telles.

O Toureio.pt falou com o Presidente da Câmara Municipal de Coruche, Francisco Oliveira,  que começou por dizer que é um “orgulho para quem é coruchense e para quem é aficionado, saber que um grupo de homens teve esta coragem e arrojo de criar esta nova associação, com um nome que é alusivo à nossa praça. É mesmo ‘Nossa Praça’. É um nome aglutinador, de aficionados na envolvente da tauromaquia. Espero e faço votos de que seja um projecto de sucesso, que tenhamos sempre a praça cheia, naquilo que serão as iniciativas que decorrerão nesta praça e que seja um incentivo para que os aficionados se envolvam naquilo que é o gosto por esta componente da tauromaquia.”

O autarca refere que a componente tauromáquica é “identitária do mundo rural, da nossa vivência e temos de ser nós os aficionados, aqueles que vivem e trabalham nas terras do interior em prol da tauromaquia, a fazer algo pela tauromaquia. Eu espero que se envolvam os ganadeiros, toureiros, forcados e toda a panóplia que envolve a tauromaquia, para que possamos engrandecer ainda mais a tauromaquia, que hoje está muito sujeita à teoria do gosto e é uma fragilidade que possamos ter no futuro.”

Questionado sobre o facto de se tratar de uma associação poder vir a atrair mais pessoas para este movimento associativo, o edil coruchense refere que “a associação tem essa particularidade, acredito eu, que é de trazer mais pessoas à praça e também mais jovens. É importante que consigamos trazer mais jovens, quer das escolas quer do concelho ou fora do concelho, a envolverem-se no gosto pela actividade da tauromaquia”, acrescentando que “sendo uma associação, envolvendo outras actividades associadas à tauromaquia, envolvendo a associação de forcados, envolvendo todas as pessoas da tauromaquia vão conseguir fazer um bom trabalho e dar visibilidade a esse trabalho.”

Já sobre o apoio da autarquia a esta associação, Francisco Oliveira salienta que “temos dado sempre apoio à tauromaquia. A tauromaquia faz parte daquilo que é a Direcção Geral do Património, é uma actividade que está inserida como cultural e como tal o poder público tem de dar este apoio dentro daquilo que são as regras próprias. Não devemos ter receios, medos, mas sim cumprir aquilo que são as regras a que estamos sujeitos dentro da responsabilidade pública que temos.”