Actual Cabo do Aposento da Moita esclarece dúvidas e diz “não existe ainda um futuro Cabo”

O cabo do grupo de Forcados do Aposento da Moita, em declarações ao Toureio.pt, esclarece a transição de cabo no grupo, depois de uma notícia veiculada por um espaço informativo de cariz taurino, Farpas Blogue.

Segundo José Maria Bettencourt, “não existe ainda um futuro Cabo, nem uma data possível para tal, sendo que o mais provável será Maio de 2019 e não em Setembro deste ano”.

De seguida transcrevemos ainda um comunicado emitido hoje pelo Grupo de Forcados Amadores do Aposento da Moita:

"Na sequência da notícia lançada hoje no Farpas Blogue, que noticiava uma futura transição de Cabo, e o posterior comunicado do GFA Aposento da Moita, venho pessoalmente esclarecer os mesmos de maneira a evitar mal entendidos.

O cenário de transição foi, depois de muita ponderação uma intenção minha, que mais tarde foi então conversada com o grupo actual tendo em vista uma preparação para tal ocorrência e permitindo a melhor sucessão possível de maneira a salvaguardar os interesses do GFA Aposento da Moita.

Confirmo assim uma intenção de transição da minha parte, contudo não existe ainda um futuro Cabo nem uma data possível para tal, sendo que o mais provável será Maio de 2019 e não em Setembro deste ano.

A razão de não existir nenhum sucessor, tal como foi noticiado, provém do facto de o grupo ter como intenção uma preparação de vários elementos para que mais tarde se possa então proceder à eleição de um futuro Cabo e pelo facto de esta intenção ser bastante recente e o grupo querer proceder a uma transição natural e cuidadosa.

Os rumores surgiram de facto de uma conversa entre o Miguel Alvarenga e dois ex Cabos do Grupo (José Manuel Pires da Costa e João Simões), que segundo sei confirmaram a minha intenção mas sem anunciar um sucessor ou qualquer data para tal acontecimento.

Apresento também as minhas desculpas pelo facto de ter contribuído para algum mal entendido, no que toca ao facto de não ter anunciado esta intenção publicamente, no sentido de proteger o Grupo e permitir uma transição calma, serena e absolutamente interna o que veio a provar-se impossível.

O Miguel Alvarenga, enquanto jornalista e amigo, sempre respeitou o GFA Aposento da Moita e ele próprio também assumiu o erro de não ter contactado o Cabo, nem o Leonardo Mathias para confirmar o rumor.

Quero com este comunicado esclarecer os mal-entendidos, e contribuir assim para o bom ambiente na Tauromaquia e assegurar que não existem quaisquer tipo de ressentimentos com nenhum dos intervenientes neste episódio.

Deixo ainda esclarecido que o ambiente vivido no GFA Aposento da Moita é o mais saudável.”

Para ver

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*