Quinta-feira, Dezembro 1, 2022
Publicidade
InícioCrónicasCampo Pequeno: A noite foi dos forcados…

Campo Pequeno: A noite foi dos forcados…

Corrida surpresa na praça de toiros do Campo Pequeno onde se encerravam pela primeira vez com seis toiros no “Novo Campo Pequeno” o Grupo de Forcados Amadores de Vila Franca. Tal gesto, veio a tornar-se num enorme triunfo com todo o Grupo a ser chamado á praça no final da corrida, para que o público lhe tributasse fortes aplausos, pela noite redonda que tiveram na primeira praça do Pais. Um triunfo que fica para a história. História essa que foi feita pelos Forcados Ricardo Castelo, Rui Godinho, Vasco Pereira, Ricardo Patusco e David Moreira que todos eles se fecharam ao primeiro intento com rijas e perfeitas pegas. Falta uma pega, a do jovem Francisco Faria, filho mais novo do antigo Cabo do Grupo Jorge Faria; na forma como brindou a pega evidenciou logo a garra e a vontade com que foi para o toiro; uma rija tentativa que o deixou inanimado, com vários forcados a “darem o corpo” para o protegerem; momentos de tragédia; mas eis que Francisco Faria se recompõe, e depois de momentos inanimado reanima para enfrentar o toiro com galhardia redobrada, e fechar-se de forma rija á segunda tentativa. Grande noite, grandes forcados.

Facto “curioso” da noite, quando Francisco Faria fica inanimado na arena; seu pai Jorge Faria, que se encontrava na trincheira, tenta saltar á arena em socorro do filho e onde é prontamente impedido por um segurança; podemos até compreender o trabalho do segurança; mas interrogamo-nos como na corrida anterior em que estando de sobreaviso que estava na praça um famoso e conhecido anti-taurino, o deixaram saltar á arena cumprindo os seus propósitos.

A parte a cavalo abriu a noite Rui Salvador numa actuação sem qualquer história perante um astado que pedia contas; não deu volta nem escutou música o cavaleiro de Tomar. A sua segunda actuação meteu a carne toda no assador e deu o melhor de si num toiro que cumpriu e que tinha emoção; o respeitável compreendeu o seu labor e deu-lhe grandes aplausos.

O rejoneador Espanhol Andy Cartagena teve uma actuação positiva e que chegou forte ás bancadas no seu primeiro; uma lide sempre a ir a mais; cravou nos médios, lidou e bregou de forma correcta e expressiva; festival de capotazos do seu peão de brega que foi fortemente assobiado enquanto Cartagena trocava de montada, rematou com dois violinos. O seu segundo e último da corrida deixou-se lidar numa actuação com adornos próprios do rejoneio, que atingiu a nota positiva, as duas actuações foram premiadas com volta.

João Telles Jr provou mais uma vez que é uma das peças chave para os cartéis importantes desta temporada; duas lides com valor, que agradaram bastante ao público presente, que nesta noite preenchia cerca de meia casa da catedral Lisboeta. O jovem cavaleiro da Torrinha foi premiado com volta nos dois toiros que lidou.

O curro de toiros irrepreensivelmente bem apresentados da Ganadaria de Canas Vigouroux; alguns deles com mais de seiscentos quilos, tiveram comportamento positivo, com alguns deles a pedirem o bilhete de identidade aos artistas; onde apenas o lidado em primeiro e último lugar se mostraram mais reservados.

Publicidade
Publicidade

Últimas