Quinta-feira, Setembro 29, 2022
Publicidade
InícioCrónicasCampo Pequeno: Noite insonsa a abrir a temporada 2015

Campo Pequeno: Noite insonsa a abrir a temporada 2015

Foi com o bonito pasodoble "Forcados Amadores de Alcochete" interpretado pela "Imparcial" ; que rompeu o passeillo da corrida de abertura do abono da temporada Lisboeta. Campo Pequeno, a primeira no mundo do toureio a cavalo.

"Lebreco" um castanho de Pinto Barreiros abriu a noite; dobrou-se com ele Rui Fernandes citando de largo cravou-lhe dois ferros compridos de boa nota; lide sem brilho de Rui Fernandes; que terminou com dois bons ferros e já com pouco toiro; música no final da lide. Pedro Gil pelos amadores de Lisboa pegou à primeira tentativa e sem problemas o primeiro toiro da temporada da Capital; volta para cavaleiro e forcado.

Não "tinha nome" o "flavo" que tocou em sorte a Diego Ventura; brindou à Cavaleira Ana Baptista e marido;  Ventura foi agarrado contra tábuas antes de cravar o primeiro comprido; teve que porfiar bastante o de La Puebla para cravar o segundo; sacou o Nazari e ganhou a "pelea" com três extraordinários ferros curtos; excelentes momentos de brega; cravou e rematou como mandam as regras; apesar de o astado se adiantar e procurar tábuas desde cedo; grandes momentos de Ventura que ganhou o público que na capital do toureio equestre Português esteve bem exigente com o rejoneador. Os maus toiros também dão boas lides; a dificuldade está em que o público o reconheça; hoje reconheceu! Vasco Pinto pelos amadores de Alcochete depois de quatro tentativas de caras sem o toiro se arrancar,  foi à segunda entrada de cernelha que o agarraram sem brilho; terminou à corda este "sem nome". Volta para Diego Ventura que não deu por vontade própria depois de o toiro ter demorado uma eternidade a entrar.

João Moura Jr lidou um castanho de nome "Fandango", muito por cima do seu oponente desenhou uma lide sempre em crescendo ao som de "Nierva" os dois últimos ferros citando de praça a praça entrando pelo toiro e cravando de alto a baixo;  termina com mais um do mesmo estilo a pedido do público. Duarte Pereira dos da casa,  pegou o terceiro da noite sem problemas a primeira tentativa. Volta para cavaleiro e forcado.

Rui Fernandes é o Português que comanda neste início de temporada o "escalafon" em Espanha; "Garrudo" um flavo chamusco foi o segundo toiro lidado por Fernandes ao qual o cavaleiro teve que pisar terrenos de grande compromisso para cravar ferros de boa nota;  faltou toiro e ligação para uma lide mais completa. Rúben Duarte dos amadores de Alcochete pegou sem problemas à primeira tentativa. Cavaleiro e forcado deram volta de agradecimento.

A segunda lide de Diego Ventura resumiu-se a quatro passagens em falso e à cravajem de três ferros curtos. O consagrado  Manuel Guerreiro dos amadores de Lisboa pegou à segunda tentativa uma pega brindada a Vasco Pinto;  gesto de camaradagem entre grupos que foi fortemente aplaudido. Volta para forcado que apenas agradeceu nos médios.

Um cinquenho de nome "Silvério" foi o último toiro da corrida lidado por João Moura Jr; investia de largo e serviu para Moura cravar bons ferros com ligeiras batidas ao piton contrário que agradaram ao respeitável e fizeram soar fortes aplausos; pediu mais o público mas Moura preferiu terminar em grande;  a lide estava feita. A última foi a pega da noite executada por Nuno Santana dos amadores de Alcochete.

Praça cheia para a corrida  de abertura da temporada. Os toiros de Pinto Barreiros inviabilizam em certa parte o espectáculo; justos de apresentação e bravura;  força quanto baste , com nota positiva para o lidado em último lugar;  foi assim a prestação da ganadaria "mãe das ganadarias" Portuguesas. Para a história , fica como a primeira e única corrida em que o cornetim num espaço de quarenta e três anos não foi o Sr José Henriques, a recuperar de um acidente, e a quem desejamos rápidas melhoras.

 

Publicidade
Publicidade

Últimas