Campo Pequeno: Personalidades reconhecem e valorizam os 40 anos de alternativa de João Moura!

João Moura celebra 40 anos de alternativa na próxima quinta-feira, dia 7 de Junho, no Campo Pequeno, em Lisboa.

A empresa que gere o tauródromo lisboeta tem apostado numa divulgação em que convida várias personalidades da vida pública e cultural portuguesa a falar sobre a importância de João Moura para a tauromaquia nacional, e obviamente para a cultura do nosso país.

Elísio Summavielle, presidente do Centro Cultural de Belém, antigo Secretário de Estado da Cultura e aficionado assumido diz que “Mestre João Moura fez História no toureio a cavalo, quando a todos deslumbrou desde meados dos anos 70, com o seu célebre cavalo “Ferrolho”. A revolução aconteceu no momento em que as regras clássicas do toureio deram com essa virtuosa novidade de uma brega contagiante, emotiva como nunca, feita da proximidade obsessiva, colada, oferecida, da garupa à cara do touro, com o máximo temple e emoção até ao momento do ferro. A lide de João Moura marcou e formou as gerações que lhe sucederam ao longo destes 40 anos de alternativa, que em boa hora se celebram na nossa Monumental de Lisboa.

 

Já o músico Carlos Alberto Moniz deixa uma comovida mensagem ao cavaleiro alentejano na qual expressa o seguinte: “Nasci aficionado. É natural. O ter nascido na Ilha Terceira, Açores, é condição suficiente para que qualquer pessoa à nascença, seja aficionado. Está na chamada “massa do sangue”. É uma característica genética. Obviamente respeito todos aqueles que, ao crescerem, mudaram de opinião, por uma razão ou outra, por não perceberem o valor histórico e cultural da festa brava, por qualquer outra razão pessoal. Não os ataco. Não respondo na mesma moeda a aqueles, que de uma forma agressiva, perturbam o bem-estar de quem, pura e simplesmente, quer assistir a uma corrida de toiros. Mas… as manifestações ruidosas, do lado de fora da Praça do Campo Pequeno em Lisboa, têm um lado positivo. Ajudam a encher a praça. Senão vejamos: Naquela hora, antes de começar a corrida, é que se vendem os últimos bilhetes. As pessoas que passam a pé pela Avenida da República, alertadas por um ruído vindo do Campo Pequeno e olhando para o edifício, deparam-se com o cartaz da corrida dessa noite e em vez de seguirem para o Metro ou a pé para casa, para o autocarro ou seja para onde estavam decididos a ir, resolvem participar na Festa dessa noite. E assim, não permitem que haja lugares vazios. Neste dia especial em que festejamos os 40 anos de Alternativa de João Moura nem vão ser necessárias estas “ajudas de última hora”. A Praça vai estar cheia, como habitualmente. Os aficionados gostam dos seus Cavaleiros Tauromáquicos e João Moura ficará para sempre na História dos grandes artistas, inovadores e profissionais da Arte de Bem Tourear a toda a sela. Como Admirador e Amigo de vários Toureiros — matadores, cavaleiros, bandarilheiros e forcados — da nossa paixão, não me atrevo a usar o artigo definido, mas que João Moura está num dos lugares mais altos na minha lista de preferências, está! Bravo João! Espero participar na festa dos 50 ANOS DE CARREIRA. Dos Juniores, João e Miguel, falaremos mais adiante. A semente está lançada e a germinar muito bem. Muitos parabéns, João. Abraço Amigo”.

 

O treinador de futebol ribatejano e aficionado, José Peseiro, diz que “João Moura é um génio, uma primeiríssima figura nacional e mundial do toureio equestre. Criou um estilo novo de tourear a cavalo e, por essa razão, se pode dizer que há um toureio a cavalo antes e outro depois de João Moura, tal a influência que a sua interpretação pessoal trouxe para esta forma de expressão da arte tauromáquica. A tauromaquia e Portugal devem muito a João Moura e ambos lhe devem estar agradecidos e felicitá-lo pela celebração dos seus 40 anos de alternativa”.

 

O presidente da Câmara Municipal de Monforte, de onde João Moura é natural, relembra que “quando falamos de João Moura, falamos obviamente de Monforte. Foi assim que João Moura sempre quis que fosse. É inquestionável que houve um toureio a cavalo antes de João Moura e há um toureio a cavalo depois de João Moura. Ele introduziu há 40 anos, quase tudo, o que de inovador há, ainda hoje, na arte de Marialva. As bregas bem ligadas, as sortes apertadas, a batida ao pitón contrário, o ladear, os remates dos ferros, as vantagens ao toiro, a emoção, o risco e toreria. O menino de oiro de Monforte, filho de um grande cavaleiro, sobrinho de um ganadeiro de excelência, João Moura pai e António Benito Moura, respectivamente, legaram-lhe metade dos ensinamentos necessários para ser a referência que é hoje João Moura no Mundo do toureio a cavalo. A outra metade, foi inequivocamente dele. A vocação, a genialidade, a paixão e o trabalho árduo em cima das montadas, foram os restantes factores que justificam o sucesso da carreira do João António. Pelo seu amor à terra, foi sempre a Monforte, que o João António regressou, e onde tem o seu Porto de Abrigo. Toda a Sociedade lhe tem um enorme respeito, sobretudo pela humildade, que lhe é reconhecida, mesmo quando o mundo estava a seus pés e a sua carreira no auge. Ele foi sempre o mesmo. O nosso grande embaixador. O nosso querido menino João António. Bem haja João, pelos seus 40 anos de alternativa e por ser o Monfortense de grande orgulho que é”.

 

Já o fadista Manuel da Câmara, recorda que tal efeméride “constitui sem dúvida uma honra e um privilégio ter conhecido e acompanhado João Moura durante estes 40 anos de alternativa que fizeram de mim um entusiasta e admirador desse grande artista. Espero vê-lo por muitos mais anos com a garra e a sabedoria que sempre nos habituou e que, no dia 7, nos brinde com mais uma noite de gloria ao lado da sua família

 

João Moura comemora 40 anos de alternativa na corrida a realizar a 7 de Junho no Campo Pequeno, em que alternará com os seus filhos, os cavaleiros João Moura Jr. e Miguel Moura, completando o cartaz o novilheiro João Augusto Moura, seu sobrinho. Pegam os grupos de Forcados de Portalegre, Arronches e Monforte. Lidam-se 6 toiros para cavalo, sendo 3 de Manuel Coimbra e 3 de Romão Tenório e 1 novilho para lide a pé da ganadaria Torre d’Onofre.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*