Campo Pequeno: Temporada Lisboa termina em triunfo…

Campo Pequeno corrida de gala à antiga Portuguesa a fechar uma temporada triunfal.

Antes do início da corrida foi entregue o Galardão Prestígio ao Cavaleiro Tauromáquico D. Francisco de Mascarenhas no ano em que cumpre setenta anos de alternativa; feito único na história do toureio a cavalo. Em noite de homenagem foi brindado por quase todos os artistas.

António Telles abriu a noite com uma lide onde revelou o seu estilo mais puro e clássico; uma atuação onde cravou com rigor agradando ao respeitável. Foi premiado com volta.

Rui Salvador cumpre este ano trinta anos de alternativa; essa longa trajetória deu-lhe a experiência mais que suficiente para lidar o manso que lhe tocou em sorte, e ao qual teve que pisar os terrenos para lhe cravar ferros com um nome que também marca a sua longa e valorosa carreira: "impossíveis. Uma lide em crescendo que terminou em triunfo debaixo de fortes aplausos. Premiada com aplaudida volta e chamada aos médios.

Fermin Bohorquez trouxe a esta corrida à antiga Portuguesa o ar do rejoneio Espanhol; uma atuação com valor, onde cravou quatro ferros curtos de boa nota e que chegaram forte às bancadas; uma lide que terminou com um ferro de palmo e tentou dois pares de bandarilhas que não resultaram em pleno; ainda assim, saldo bem positivo para este rejoneador que hoje se despedia dos aficionados portugueses no ano em que se despede das arenas. Foi premiado com volta.

Ana Batista teve no primeiro ferro curto o ferro da corrida; premiado logo com música pelo diretor Pedro Reinhard ; cravou mais três curtos de nota elevada e terminou com um de palmo, uma atuação curta mas intensa e emotiva, que rubrica uma grande temporada para a Cavaleira de Salvaterra. Foi premiada com volta onde além de fortes aplausos recebeu uma enormidade de flores (do Montijo).

Marcos Bastinhas colocou logo nos dois compridos a fasquia bem elevada; a ilustre filarmónica do Samouco começou logo a tocar também no primeiro curto; uma lide com grandes momentos de brega e recheada de grandes ferros; termina com um de palmo e com um grande par de bandarilhas; que melhor homenagem que esta grande lide brindada a seu Pai Joaquim Bastinhas que se encontrava em casa a recuperar de forte "colhida". Triunfo forte do cavaleiro de Elvas que deu aplaudida volta.

Fechou a noite o cavaleiro praticante Luís Rouxinol Jr que também obteve um redondo triunfo; uma lide alegre e recheada de grandes momentos e grandes ferros; todo um cavaleiro rumo à alternativa. Foi premiado com volta.

No capítulo das pegas pelo grupo de Lisboa Manuel Guerreiro numa pega exemplar à primeira tentativa; Pedro Gil e Eurico Medronheira ambos ao segundo intento.

Pelo grupo de Alcochete Nuno Santana à segunda tentativa numa pega estóica premiada com duas voltas, António José Cardoso pegou à terceira tentativa depois de duas rigissimas tentativas. A fechar, o cabo Vasco Pinto à segunda tentativa.

O curro de toiros da ganadaria Passanha bem apresentado com três toiros a ultrapassar os seiscentos quilos ajudou ao triunfo dos artistas.

Uma corrida de triunfo no fecho da temporada Lisboeta que nos deixa com vontade e saudade redobrada para a próxima temporada.

 

Para ver

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*