Coliseu de Elvas abriu a sua temporada com um espetáculo agradável

Maestro Joaquim Bastinhas abriu a contenda perante um touro de Passanha que se deixou lidar;  onde o Toureiro de Elvas esteve por cima do seu oponente e mostrou a sua alegre forma de tourear;  uma atuação correta onde o público não o deixou sair sem cravar o tradicional par de bandarilhas; apeou-se e recebeu fortes aplausos dos seus conterrâneos. Luís Aranha dos Amadores de Monforte pegou o primeiro da noite à segunda tentativa.

Tito Semedo brindou a sua lide a Marcos Tenório e depois foi-se à porta gaiola para receber o seu oponente que saiu com pata; uma lide que agradou às bancadas a que Tito acrescentou alguns adornos; saldo positivo numa atuação em que o Toureiro de Santana da Serra soube sair sem aceder ao pedido do público para cravar mais um ferro. Paulo Barradas Maurício dos Académicos pegou o segundo da noite à terceira tentativa.

Sónia Matiasfoi agarrada de saída pelo seu primeiro felizmente sem consequências;  um toiro que pedia contas e que acrescentou bons momentos à lide de Sónia;  uma atuação que veio a mais terminando com a espetacularidade do cavalo "Atrevido" que agradou bastante ao respeitável. Rui Martins o cabo dos Amadores de Coimbra efetuou uma excelente pega ao primeiro intento.

Ana Baptistaenfrentou-se com algumas dificuldades com o seu oponente que em nada lhe facilitou a vida; uma lide com altos e baixos para a cavaleira de Salvaterra. Nuno Toureiro, dos Amadores de Monforte, efetuou uma rija e valente pega ao primeiro intento.

Também o quinto desta vez não foi mau e Pedro Salvador imprimiu-lhe uma grande lide; o primeiro curto com batida ao piton contrário foi o ferro da corrida;  seguiu no mesmo tom e ofereceu grandes momentos de brega numa lide com ligação e emoção terminada com um grande ferro de praça à praça;  o público reconheceu a sua atuação e tributou-lhe os maiores aplausos da noite. Luís Machado dos Académicos de Elvas seguiu no caminho das grandes pegas e efetuou mais uma ao primeiro intento.

Marcos Bastinhasbrindou a lide ao público e cravou ferros de boa nota a um toiro que apenas pecou pela falta de força; o quarto ferro curto foi de antologia e o público exigiu-lhe mais a que o cavaleiro Elvense acedeu cravando três ferros de palmo. José Freire finalizou o capítulo das pegas pelos homens do Mondego numa pega à primeira tentativa.

Lidou-se um curro de toiros da ganadaria Passanha que deram bom jogo e contribuíram para que o espetáculo tivesse grande interesse levando a que todos os intervenientes tivessem sido premiados com volta.

A praça registou meia entrada de público.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*