E assim termina Olivença…. Manzanares e Rey em ombros

A feira de Olivença começou com temperaturas polares na sexta feira e terminou domingo com calor; é verdade que a temperatura subiu bastante, mas também é verdade que o peruano Andrés Roca Rey muito contribuiu para esse aquecimento com a faena do seu primeiro toiro, que como todos os outros lidados, pertenciam á ganadaria de Zalduendo; Roca Rey mostrou mais uma vez, e cumpriu mais uma vez a sua palavra, de que cada arena que pisa, é para se arrimar á séria, e sem recuos; uma faena com momentos de cortar a respiração e com um toureio carregado de verdade, daqueles que levam os aficionados a querer mais e mais. O peruano destacou logo no capote num vistoso quite por tafalleras e gaoneras; para depois na muleta ter pintado várias séries por ambos os pitons, passes cambiados, vindo a terminar por bernardinas uma faena variada e carregada de emoção que alimentou a expectativa de toda a praça onde se pode dizer que a maioria estava por ele. Estocada inteira e porta grande. O seu segundo e ultimo da corrida foi um toiro bem diferente do primeiro, ainda tentou tirar-lhe algo mas a faena ficou-se por alguns momentos e pormenores de interesse. Foi silenciado.

Morante de la Puebla sorteou o pior lote da tarde, no primeiro depois de lhe ver poucas condições para o seu toureio, Morante ainda se esforçou mais do que o normal a que nos acostumou em circunstâncias idênticas; ficou um aroma de capote e algumas séries de muletazos, desacertou  e tardou na hora de entrar a matar e foi silenciado; no segundo passou quase o mesmo que no primeiro mas com umas notas um pouco acima, foi ovacionado.

José Maria Manzanares teve uma grande faena no seu primeiro toiro; um toiro exigente que teve pela frente um toureiro valente, inteligente e especial; toureou de verdade e talvez por isso a generalidade do grande público nem tenha entendido e consequentemente valorizado a faena; valeu a outra parte mais conhecedora que pediu forte a orelha que certamente foi das mais valiosas desta feira. O segundo do seu lote também requeria exigência, Manzanares andou mais uma vez perfeito; luziu  logo no capote por verónicas e na muleta tapou-lhe os defeitos e sacou uma faena rematada com uma estocada recebendo que vem sendo uma assinatura habitual deste diestro, de que é na actualidade praticamente o seu único executante; cortou mais uma merecida orelha e conquistou a saída em ombros ao lado de Roca Rey. Casa esgotada.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*