Elvas: Coliseu de Elvas voltou a receber a tradicional corrida de São Mateus

João Moura brindou ao público a primeira lide da tradicional corrida da Feira de São Mateus em Elvas, uma das mais antigas romarias Alentejanas. Quase casa cheia no renovado Coliseu de Elvas. O Maestro de Monforte mostrou um toureio variado, empregando-se na brega e cravando ferros de boa nota rematados com ajustadas piruetas, rematou a lide com dois ferros de palmo e deu volta. No segundo que lhe tocou em sorte esteve em nível ainda mais elevado, o segundo curto cravado com ligeira batida ao piton contrário empolgou as bancadas e fez soar os primeiros acordes de “Puerta Grande”, bregou novamente de forma extraordinária com alguns recortes toureiros que agradaram ao respeitável, uma lide esforçada e conseguida onde esteve por cima do seu oponente.

“Joaquim Bastinhas, de Elvas para o mundo” é o titulo da exposição que retracta a vida deste toureiro Elvense; já são mais de trinta anos de toureio continuando a chama do triunfo bem acesa; hoje, como já vem sendo tradição nas suas festas, toureou perante as suas gentes; no seu primeiro depois de brindar ao seu filho Marcos que se encontra ainda a recuperar de acidente sofrido na praça de toiros de Albufeira, pouco pode fazer perante o toiro mais pesado da corrida com seiscentos e trinta e oito kilos, cravou a ferragem da ordem mas não conseguiu brilhar como pretendia, ainda cedeu a mais um ferro a pedido do público e cravou um de palmo com que rematou a actuação, o director concedeu volta mas Bastinhas não deu. Foi no seu segundo que surgiu o triunfo, uma lide alegre e variada, em que aproveitou as boas condições do seu oponente, ferros de nota alta numa lide que veio sempre a mais e que foi rematada como não podia deixar de ser com um excelente par de bandarilhas em terrenos de grande compromisso, apeou-se da montada e recebeu a maior ovação da tarde. Sónia Matias é uma toureira bastante querida por estas bandas; no primeiro toiro que lidou, desenhou uma lide que veio sempre a mais, destaque para o quarto ferro curto que cravou, depois na parte final da lide  saca o famoso “Atrevido” e recria-se com este extraordinário cavalo com o qual cravou um extraordinário ferro em sorte de violino. O que fechou praça foi o melhor toiro da corrida, um toiro que pedia contas e que foi toureado por Sónia com bastante valentia, aproveitou as francas investidas e cravou ferros de nota alta, foi fortemente ovacionada. Os forcados amadores de Montemor abriram praça por intermédio de Manuel Dentinho que pegou á primeira tentativa, na segunda pega Frederico Caldeira concretizou apenas á quarta tentativa, João Braga pegou ao primeira intento. André Bandeiras dos forcados académicos de Elvas pegou á quarta tentativa, depois de três valentes e rijas tentativas, Tiago Caldeira Fernandes pegou á segunda, e Afonso Bulhão Martins pegou á primeira. Foram lidados toiros de Francisco Romão Tenório bem apresentados, que deram bom jogo e emoção ao espectáculo; certamente do melhor que se viu esta temporada desta ganadaria, A chamada do ganadeiro tinha sido justa. 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*