Em Estremoz foi Moura jr o que mais brilhou

A tradicional corrida das Festas da Exaltação da Santa Cruz em Estremoz teve este ano na parte taurina uma corrida de toiros com a presença da Dinastia Moura. Uma tarde triunfal onde foi possível ver as várias tonalidades de toureio de uma das mais importantes famílias toureiras do Mundo.

O Maestro João Moura abriu a contenda com a sua maestria, um toiro suave que foi bem aproveitado pelo toureiro de Monforte, destaque para segundo e  terceiro ferros curtos, rematou com algumas piruetas uma lide em que esteve por cima do oponente. Brindou o seu segundo aos seus dois filhos e companheiros de cartel, uma actuação que chegou mais ás bancadas que estavam preenchidas com meia casa forte, foi possível ver nesta lide o verdadeiro João Moura.

Com mais actuações em Portugal esta temporada, e ainda bem; João Moura Jr somou em Estremoz mais um rotundo triunfo, isto, depois de na passada quinta-feira ter triunfado no Campo Pequeno; foi ao som de “Paquito El Chocolatero” que se viu uma lide sempre a ir a mais, recebeu o seu primeiro dobrando-se em curto levando o toiro na garupa, irrepreensível na brega a duas pistas onde escutou logo fortes aplausos, cravou com maestria ferros que levantaram as bancadas. O quinto da tarde fez justiça á máxima de que “não há quinto mau”, e foi mesmo o toiro da corrida, recebeu de igual forma que o primeiro que lhe tocou em sorte e cravou dois curtos de antologia, os cravados em segundo e terceiro lugar que foram os ferros da corrida, rematou com um ferro de palmo a lide mais aplaudida da tarde.

Miguel Moura não se deixou intimidar pelos seus “colegas” de cartel; e “meteu toda a carne no assador”; também na forma como bregou o primeiro oponente se viram os traços indiscutíveis da Dinastia de Monforte, uma actuação de nota elevada. O que encerrou a tarde foi brindado por Miguel Moura a todo público presente, a ânsia era de triunfo; houve um susto logo no inicio da ferragem curta, onde Miguel foi agarrado sem consequências contra as tábuas, nada que intimidasse esta jovem promessa, que desenrolou uma lide de valor fundamentalmente baseada em grandes ferros cravados com batidas ao píton contrário; sendo fortemente aplaudido. O curro de toiros lidado esta tarde pertencia á ganadaria de Francisco Romão Tenório, bem apresentados, deixaram-se lidar, não complicando e evidenciando bem as características do encaste Murube que levam dentro, destaque para o lidado em quinto lugar que voltou para o campo; o ganadeiro deu volta no quinto toiro e no sexto voltou a dar depois do Director de corrida Sr Agostinho Borges lhe ter mostrado o lenço azul.

As pegas estavam a cargo do Grupo de Forcados de Portalegre e do grupo de Forcados de Monforte. Ricardo Almeida e Alexandre Lopes pegaram ambos á primeira tentativa, André Neves concretizou a outra pega dos Portalegrenses á terceira tentativa. Pelos Amadores de Monforte foram caras Vítor Carreiras à primeira tentativa, Fábio Derreado concretizou á terceira e fechou a tarde Dinis Pacheco ao segundo intento.

A certeza da continuidade dos Moura Toureiros ficou bem evidenciada nesta corrida em Estremoz, não só pelo Maestro; pelo João e pelo Miguel como também pelo benjamim Tomás que acompanhou sempre efusivamente os seus familiares nas voltas de agradecimento: Dali só pode sair mais um toureiro, com toda a certeza!   

Para ver

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*