Terça-feira, Outubro 4, 2022
Publicidade
InícioCrónicasEm Vila Franca voltou a haver touros de verdade... voltou a haver...

Em Vila Franca voltou a haver touros de verdade… voltou a haver espetáculo!

Como já aqui referimos por várias vezes quando há toiro, há espetáculo e quando se aposta na verdade do toiro o triunfo aparece. Foi isso que aconteceu no passado dia 6 de Julho, na tradicional corrida do Colete Encarnado, na Palha Blanco, em Vila Franca de Xira. A empresa Tauroleve voltou a apostar numa corrida imponente e ganhou. Logo á partida registou-se uma boa entrada de público, ¾ de casa, a que se juntou uma imponente corrida de David Ribeiro Telles de apresentação irrepreensível e depois a darem muito bom jogo, o que permitiu um belíssimo espetáculo.

Anunciavam-se os cavaleiros António Telles e João Telles jr, bem como os Forcados Amadores de Vila Franca, na parte apeada estiveram os matadores António João Ferreira e Nuno Casquinha.

Como já referimos os touros desta corrida, pertenciam à ganadaria de David Ribeiro Telles, que saíram muito bem apresentados, com praticamente todos a serem aplaudidos à saída. Muitos diziam que poderia muito bem se ruma corrida para Madrid, eu digo que bem poderia ser também um bom exemplo para certas praças do país… No comportamento foram exemplo, pois deram bom jogo e permitiram grandes momentos de toureio, tendo mesmo o quinto regressado ao campo, pois era um touro que se arrancava de todos os terrenos e com muita alegria.

Na lide a duo que abriu a tarde, vimos uma perfeita sintonia entre os dois ginetes da Torrinha. Entenderam na perfeição o oponente que tinham pela frente, realizando uma lide ritmada e elevando logo a fasquia para uma tarde de bom toureio.

António Telles, na sua lide a solo realizou uma daquelas lides de arte, que não se vê todos os dias. António andou a gosto, aproveitando as boas condições do oponente que teve pela frente. Bem na brega, preparando bem as sortes para de alto a baixo e ao estribo deixar ferros de excelente nota.

João Telles Jr, enfrentou o mais pesado da tarde e também com excelentes condições de lide. Um touro que se arrancava de todos os terrenos, sempre com alegria e que permitiu ao jovem cavaleiro uma lide que fez soar fortes ovações. Deu primazia ao seu oponente, para depois entrar por ele dentro e deixar ferros de grande nível.

No que diz respeito às pegas, a tarde foi de três boas pegas. Foram caras pelos Amadores de Vila Franca, Rui Godinho, Pedro Castelo e Ricardo Patusco, todos eles à primeira tentativa.

O toureio a pé tinha exame duro esta tarde. Com boas notas dos dois toureiros na parte “teórica”, a parte prática assombrava um pouco apenas e só fruto do pouco placeamento dos dois jovens diestros; o valor esse sim veio ao de cima e fez redondear uma tarde de triunfo para ambos, em que mais uma vez a chama do toureio a pé Português volta a brilhar com mais intensidade. António João Ferreira abriu a primeira lide por verónicas, metendo “la barbicha en el pecho” e fazendo vibrar logo as bancadas, boa série por derechazos, seguindo por naturais, esteve por cima do sério oponente que não permitia facilidade, uma faena de valor rematada com a sorte de matar simulada resultando numa forte voltareta sem consequências.

O segundo que lidou, e que pesava quase seiscentos kilos, demonstrou a sua bravura logo no capote de Ferreira, um importante quite por chicuelinas; na muleta ficou o poder e faltou um pouco o brilho, uma faena mais longa do que intensa mas que deixou bem vincado o valor e aquilo que este jovem Toureiro tem para dar á tauromaquia.

Nuno Casquinha tem tragado também com valentia e pundonor esse duro caminho do troureio apeado; foi isso que provou na arena de Vila Franca, frente á seriedade dos astados e, com a agravante de faltar a sorte de varas; o que poderá ter tirado um pouco de brilhantismo ás lides; mas acrescentou valor e emoções em doses bem reforçadas. O primeiro que lhe coube em sorte não apresentava as condições necessárias para Casquinha bordar o seu toureio, ficou a vontade do artista e a esperança do seu segundo dar garantias de triunfo; e assim foi, um toiro ao qual apenas faltavam cinco kilos para os seiscentos, um triunfo de grande querer e entrega é aquele de que falamos, uma lide de emoção frente a um toiro sério, com duas lanças apontadas constantemente ao toureiro. Uma tarde, que serviu para abrir portas a cartéis mistos nas nossas praças, em que mais que uma oportunidade ficou provado que estes Artistas muito tem para dar ao nosso toureio a pé; oxalá as oportunidades aparecem.

O espetáculo foi bem dirigido pelo Sr. Manuel Gama, numa tarde em que o bandarilheiro Filipe Gravito tomou a sua alternativa, passando com distinção, depois de ter parado muito bem o primeiro touro da tarde e de ter bandarilhado outro touro de forma exemplar.

Publicidade
Publicidade

Últimas