Emoção na ultima de Évora

Corrida dos Bombeiros Voluntários de Èvora a fechar a temporada na Arena Eborense; uma tarde onde a emoção esteve presente fruto dos toiros da ganadaria de D. José Luis Pereda, o quarto de La Dehesilla, com idade peso e trapio.

António Ribeiro Telles abriu a contenda perante um cinquenho que colaborou com o da Torrinha para alcançar o triunfo numa actuação perfeita e clássica como é seu timbre, ficou a fasquia bem alta para os seguintes actuantes. João Salgueiro lidou o segundo da tarde com uma vontade impressionante; logo na brega e preparação das sortes conquistou os aplausos do público que preenchia com três quartos as bancadas da castiça Arena de Èvora, cravou com emoção ferros de grande nota rematados com alegria, alguns com cingidas piruetas, uma lide vibrante a um toiro que rematava até final bem por alto tentando colher o Cavaleiro da Valada. Rui Fernandes não deixou os seus créditos por mãos alheias e fechou a primeira parte da corrida com uma lide sempre a vir a mais, onde transformou e deu a volta a um toiro complicado de forma extraordinária, mostrando toda a sua maestria, uma lide que empolgou as bancadas terminando com dois ferros rematados com piruetas. Vitor Ribeiro lidou o toiro mais pesado da corrida com quinhentos e cinquenta e cinco kilos, com cinco anos cumpridos e o único que pertencia á ganadaria “La Dehesilla”, um manso encastado em que Victor Ribeiro esteve muito por cima do toiro, puxou dos galões e teve nota bem positiva, o ferro da tarde coube-lhe a ele mesmo, o segundo curto que cravou. Nesta tarde o quinto não cumpriu a máxima; foi sim precisamente o contrário, foi o pior toiro da tarde e que coube em sorte ao Cavaleiro do Montijo Gilberto Filipe, as fortes e imprevisíveis mangadas do toiro ainda conseguiram alcançar a montada por duas vezes, cumpriu a ferragem da ordem com valentia e arrojo, não deu volta de agradecimento. João Telles Jr fechou a tarde com uma lide alegre; depois de algum desacerto inicial conseguiu Telles Jr grandes momentos de toureio principalmente na forma como preparou as sortes, uma actuação com valor que marcou a tarde deste jovem da Torrinha.

Dois grandes Grupos de Forcados em praça e a tarde foi de grandes pegas. Amadores de Èvora abriram a tarde por intermédio de Ricardo Casanovas que pegou á primeira tentativa e com primeira ajuda de Francisco Abreu, dois forcados que se despediram esta tarde. Ricardo Sousa concretizou á terceira tentativa e Dinis Caeiro estoicamente á quarta tentativa estando valente em todas as duríssimas tentativas que executou.

Pelos forcados Amadores de Alcochete Fernando Quintela executou a pega da tarde, Diogo Timóteo pegou á segunda, e Pedro Viegas fechou a tarde com uma pega á primeira tentativa.

Uma tarde de toiros em que houve grande competição, emoção, perigo e em que o imprevisível marcou presença em todos os momentos; tudo isto muito por força do curro de toiros lidado; que com a junção da arte, valentia e enorme entrega de todos os Artistas resultou numa corrida que o aficionado que assistiu certamente vai recordar por muito tempo.  

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*