Estremoz: “Foi um espectáculo agradável, mas as pessoas vieram principalmente para apoiar a festa brava” (c/som)

Empresário a ser brindado pelo cavaleiro Brito Paes

Como já noticiámos, a Praça de Touros de Estremoz recebeu, no passado sábado (11 de Julho), a 1ª Corrida de Touros do Pós-confinamento. Um espectáculo promovido pela empresa Ovação e Palmas, de Luís Miguel Pombeiro, e que cumpriu todas as normas definidas pela Direcção-Geral da Saúde no âmbito da pandemia da Covid-19.

No final do espectáculo o Toureio.pt falou com Luís Miguel Pombeiro, a fim de fazer um balanço desta 1ª corrida, tendo o empresário dito que “correu bem, em termos de espectáculo foi o que se viu, uns melhores que outros, mas em termos de público vendemos os bilhetes que era possível vender nesta fase”, pois “sabemos agora que já foi aprovado para vender 50%, mas nós já tínhamos as coisas feitas de forma a que não conseguimos chegar a esses valores, porque tínhamos feito a planta de outra forma.”

Pombeiro afirma ainda que “foi um espectáculo agradável, mas as pessoas vieram principalmente para apoiar a festa brava, as pessoas ficaram contentes e o público saiu satisfeito da praça e isso é sempre importante.”

Questionado se todos cumpriram as medidas impostas pela DGS, o empresário diz que “sim”, mas “infelizmente estava-se a pedir para as pessoas respeitarem a saída da praça e houve pessoas, até com responsabilidade na festa e que foram os primeiros a sair, ou seja, houve uma falha nos arrumadores e nos porteiros, mas como a DGS e a IGAC dizem para ter as portas abertas as pessoas aproveitaram, mas mesmo assim a maioria está a respeitar as regras”.

O promotor deste espectáculo realçou “o motivo que nos reuniu aqui era agradável, era um motivo de eleição, de apoiar a festa brava”, mas volta a pedir mais alterações nas actualizadas medidas da DGS, “porque esta situação dos 80 cm de profundidade de bancada vai prejudicar muito as praças e haverá soluções com certeza para resolver 10 cm, pois não será por 10 cm ou 15 cm que apanharemos vírus, penso eu.”

Já sobre o lema que marcou esta corrida, “Resistiremos”, Pombeiro afirma que “vamos continuar a resistir nas nossas visas, no nosso dia a dia, vamos ter crise, continuamos com o vírus, temos os ataques à tauromaquia diariamente, mas felizmente no parlamento a maioria dos deputados esteve do nosso lado e não podemos deixar que a ditadura do gosto imponha regras e faça jogos políticos para prejudicar a nossa festa.”

Já sobre as próximas corridas da empresa Ovação e Palmas, o empresário começa por dizer que “as corridas não são de Luís Miguel Pombeiro nem da Ovação e Palmas, eu sou apenas o organização, mas a próxima corrida será no Campo Pequeno, a 30 de Julho se tudo correr bem, é uma corrida de resistência e finalmente vamos ter a catedral aberta, e será uma corrida em defesa da nossa casa”, concluindo dizendo que “é uma responsabilidade grande, mas irá correr bem”.