Granja: Uma boa moldura humana para um espectáculo que resultou agradável

Numa data que começa a tornar-se tradicional, a Praça de Touros da Granja, no concelho de Mourão, recebeu hoje um festival taurino. Este festival realiza-se, desde o seu início, no segundo fim-de-semana de Fevereiro, por ocasião das Festas de São Brás.

Apesar de há uma semana atrás ter ocorrido outro espetáculo,  a poucos quilómetros de distância, o publico compareceu na Granja, preenchendo cerca de ¾ da bancada existente, sendo assim a melhor assistência dos últimos anos deste festival.

Lidaram-se três astados de Quinta de Mata-o-Demo e três de David Ribeiro Telles, sendo que os três últimos eram algo pequenotes. Mas ainda assim os seis deixaram-se lidar na generalidade.

Abriu praça Rui Fernandes, que teve pela frente um touro que serviu bem à sua concepção toureira. Uma lide de qualidade, com Ru Fernandes a deixar pinceladas da sua qualidade e a vontade habitual. A correcção das cravagens e os cites com balanceado foram duas das marcas da sua actuação.

Filipe Gonçalves teve por diante um novilho que se adiantava ligeiramente  e isso promoveu um início de lide complicado e irregular. O cavaleiro subiu ligeiramente o nível nos curtos e acabou por ter uma lide positiva.

João Ribeiro Telles surgiu com força e motivado na Granja. Toureio alegre com regras e saber, baseando-se em labor e arte para atingir uma actuação de bom nível.

Paco Velásquez apresentou-se pela primeira vez em Portugal, lidando a cavalo, e esteve com excelente andamento e correcção, proporcionando bons momentos nos vários momentos da sua actuação (brega, cite, cravagem e remate).

Duarte Fernandes prestou provas para cavaleiro praticante e esteve desembaraçado e correcto durante a sua lide. Auguro muito positivo para a temporada…e para o seu futuro.

Fechou a tarde, nas lides, Tristão Ribeiro Telles Guedes de Queiroz. A idade não equivale à maturidade que já apresenta diante dos seus oponentes. Tem estilo, conceito e concepções artísticas e personalidade.

No que aos forcados diz respeito, actuaram São Manços, Real Grupo de Moura e Safara.

Pelos Amadores de São Manços, pegaram João Fortunato (à sexta tentativa, após tentativas não concretizadas por Sérgio Paços e Pedro Galhardo) e Manuel Trindade (primeira tentativa).

Pelo Real Grupo de Moura, pegou João Pereira (terceira tentativa, após dobrar Luís Bate) e Luís Branquinho (primeira tentativa).

Por Safara, pegaram André Tareco (primeira tentativa) e Nelson Ramos (primeira tentativa).

Dirigiu o espectáculo, o delegado técnico tauromáquico Domingos Jeremias, assessorado pelo Dr. Matias Guilherme.

Um espectáculo que resultou muito bem, mostrando que apesar de haver espetáculos em poucos dias a poucos quilómetros de distancia, nada quer dizer, pois o importante é sempre os cartéis apresentados, porque é isso que de facto os aficionados procuram.

Para ver