Pablo_Montijo28junho19

Campo Pequeno: Aficion rendeu-se ao espetáculo de Padilla

O Campo Pequeno recebeu esta quinta-feira a corrida de touros que marcou a despedida de Padilla da aficion lisboeta. Cartel composto por João Moura Caetano e Duarte Pinto, perante touros Vinhas. Padilla teve por diante touros da ganadaria Varela Crujo, Herdeiros. Pegaram os forcados de Santarém e Montemor.

João Moura Caetano abriu a noite com uma actuação regular e repetitiva. O cavaleiro alentejano mostrou dotes na equitação e no entendimento do touro, contudo o momento das reuniões resultaram com pouca emoção e com Moura Caetano a não demonstrar tudo o que pode e sabe. Lide regular mas não redonda. A segunda lide decorreu no mesmo nível. Dois bons ferros curtos não permitem traduzir esta lide num triunfo. Pouco Moura Caetano no Campo Pequeno.

Duarte Pinto manteve, no seu primeiro touro, a bitola do seu antecessor com a diferença que o terceiro ferro curto é de boa nota bem como o quinto. Duas passagens em falso e um toque na montada não retiram a regularidade de uma actuação que não foi redonda. A segunda lide foi um bonito quadro pintado por Duarte Pinto. Emoção, rigor, saber e muito labor permitiram triunfar perante um oponente que valorizou o triunfo do cavaleiro. Nos compridos mas especialmente na ferragem curta, Duarte, soube sempre o que fazer.

Pelos Amadores de Santarém pegou António Taurino (primeira tentativa) e Rúben Giovety (sétima tentativa, numa péssima prestação do grupo).

Pelos Amadores de Montemor pegou João da Câmara (primeira tentativa, numa excelente execução) e Francisco Barreto (terceira tentativa).

Juan José Padilla teve uma primeira fase a com várias fases e muito para contar. No capote esteve sóbrio e sem grandes alarde, destacando-se apenas a larga afarolada de joelhos em terra na fase inicial. Colocou os seus bandarilheiros a cumprir o tercio das bandarilhas e o público brindou-o com forte vaia. Na muleta esteve ao nível que nos habituou e gostamos. Arriscou, esteve com vários desplante, sofreu voltareta e regressou rapidamente mostrando quem mandava na faena. Público de pé e monumental ovação. Perante o segundo touro, do seu lote, Padilla esteve regular no capote, voltou a não bandarilhar e o Campo Pequeno voltou a ouvir assobios dirigidos ao espanhol. Na muleta voltou a ter o público consigo pela qualidade que imprimiu a esta faena com destaque para alguns desplantes quando o triunfo já estava garantido. Durante a faena destaque para o improvisado momento de flamenco a cargo do fadista Luís Caeiro que estava na bancada.

O Campo Pequeno disse Adeus a Padilla mas sem o ver bandarilhar, faceta na qual tem maioria dos seus admiradores. Saiu em ombros, como era previsível. A justiça, fica para quem a quiser discutir.

Dirigiu a corrida Manuel Gama que foi assessorado por Jorge Moreira da Silva. Antes da corrida foi prestada homenagem a Padilla, por parte da empresa do Campo Pequeno.

Go to top