Faltaram toureiros e público na Azambuja

A praça de touros da Azambuja, Dr. Ortigão Costa, acolheu, este domingo, um concurso de pegas. Os Forcados Amadores do Aposento do Barrete Verde de Alcochete, Azambuja e Arruda dos Vinhos estiveram perante touros das ganadarias Herdade da Adema (Palha) e Higino Soveral. Completaram cartel os cavaleiros Ana Baptista, Filipe Gonçalves e Marcelo Mendes. 

Ana Batista abriu a tarde com uma lide irregular. Nos compridos teve duas passagens em falso e nos curtos há a destacar um de boa nota, o segundo, e um toque na montada, na cravagem do terceiro. Voltou a elevar a nota no quarto ferro, com ligeira correcção da viagem a meio, fechando a actuação com mais um ferro de nota positiva. Na sua segunda lide esteve bem. Uma lide em que demonstrou um perfeito entendimento do touro, escolhendo bem os terrenos e cravando a preceito. O quarto ferro curto é de elevada nota. 

Filipe Gonçalves teve um touro Palha que não facilitou a sua tarefa, mas soube superar as dificuldades. Alguns toques na montada foram compensados por dois ferros de boa nota. Terminou com um ferro em sorte de violino, após cite com o cavalo a executar uma levada e batendo palmas. Na segunda lide, Filipe, esteve lidador mas não entendendo bem as distâncias na cravagem dos ferros. Insistiu, em demasia, em sortes com batida ao piton contrário mas o touro não respondia. Filipe quis arriscar e saiu quase tudo mal, mas o término de lide merece destaque pela positiva. Dois bons curtos e um par de Bandarilhas fecharam a actuação.

Marcelo Mendes teve uma primeira lide de pouca qualidade e longe, muito longe de todo os eu talento. Mal nos compridos e piorou nos curtos quando sofreu forte toque na montada. Após mudar de montada subiu ligeiramente a qualidade da lide mas não para algo que possa colocar a lide, na generalidade, num patamar positivo. Frente ao último touro, já lidado com as luzes da praça ligadas, Marcelo, esteve bem, num patamar superior ao da sua primeira lide. Alguns toques na montada, não retiram mérito a uma actuação feita de muito brio e luta. 

 

Pelo Aposento do Barrete Verde pegou João Armando (primeira tentativa) e Rodrigo Amaro (segunda tentativa). Pelos Amadores da Azambuja pegou Rúben Santos (terceira tentativa após dobrar dois colegas seus que ficaram lesionados nas tentativas anteriores) e Filipe Ramalho (segunda tentativa). Pelos Amadores da Arruda dos Vinhos pegou Pedro Sabido (primeira tentativa) e Rodrigo Costa (segunda tentativa). 

O júri foi composto por Pedro Espinheiro, António José Matos e Tiago Gomes. Foi declarado vencedor Pedro Sabido, autor da terceira pega da tarde. 

A corrida foi dirigida por Lourenço Luzio. 

Go to top