Terceira corrida de Olivença: Faena poderosa de Ferrera

Quarta corrida de abono da feira de Olivença, toiros de Zalduendo para António Ferrera, Sebastián Castella e Miguel Angel Perera, que este ano não estava pela primeira vez anunciado nos cartéis desde que se veste de toureiro, entrou pela substituição do lesionado Emílio de Justo.

António Ferrera teve palmas no primeiro da tarde, onde o mais notável que se viu foi com o capote por templadas verónicas, uma faena sem ligação e com um apontamento por outro, já com o público habituado sem o toureiro bandarilhar, os aplausos ficaram para a quadrilha que com toreria o fez. 

Sebastián Castella recebeu à verónica sem brilhar o seu primeiro, mais valor no quite por chicuelinas, brinda a faena ao público e inicia nos médios por estatutários, uma faena desenvolvida com a mão direita, apesar de escutar dois avisos, corta una orelha. 

Miguel Angel Perera viu o seu primeiro ser devolvido já depois do tércio de bandarilhas por problemas nos posteriores. Mesmo sem exigência do regulamento sai um sobrero também de Zalduendo, variado com capote,  inicia a faena nos médios de joelhos com dois passes cambiados, sobe de intensidade a faena com duas boas tandas de derechazos, mais uma por naturais e começa o astado a fugir à "pela". Corta uma orelha. 

O toureiro da casa, Antonio Ferrera recebeu o seu segundo por verónicas, nas foi no quite por faroles que escutou fortes aplausos. Um faena poderosa de Ferrera a um toiro nobre e franco, com recorrido, que foi aplaudido no arraste , permitindo ao matador uma faena intensa e fortemente aplaudida rematada com una eficiente estocada em sorte natural. Corta as duas orelhas e abre a porta grande. 

O quinto da manhã tocou a Sebastián Castella, mais uma positiva faena do francês a um toiro colaborante e nobre, primeiro por muletazos e depois segue com uma boa tanda de naturais, vem a menos na parte final quando toureia novamente com a da verdade, entra a matar de sorte natural, corta uma orelha e assegura a porta  grande. 

Perera lida o último de novo com a toreria e o ofício que lhe reconhecemos a um toiro que humilhou com nobreza, corta uma orelha e acompanha os seus companheiros a ombros pela porta grande. 

 

Uma corrida que registou dois terços de entrada e onde foram lidado toiros de Zalduendo justos e apresentação e de comportamento. 

Go to top