Imprimir esta página

Última corrida de Olivença: Um importante Roca Rey

Praça cheia para a última corrida do abono Oliventino, uma corrida de Daniel Ruiz para Morante de la Puebla, Roca Rey e Gines Marin.
Morante de la Puebla mostrou mais disposição e querer do que é seu hábito, para tourear o toiro que teve pela frente face às condições que o mesmo apresentava. Templadas verónicas e uma faena larga com momentos de bom toureio sobretudo pelo piton direito, mata à segunda estocada e corta a primeira orelha da tarde.
Roca Rey vinha de um grande triunfo no dia anterior na praça de Illescas, onde cortou duas orelhas a um toiro de José Vasquez. Não o pôde repetir no seu primeiro toiro, que despachou sem mais, de meia estocada eficiente, silêncio e assobios para o toiro no arraste.
Gines Marin foi desarmado perigosamente, primeiro quando se preparava para lancear à verónica e de seguida quando se preparava para um quite por gaoneras, boa faena do jovem toureiro da terra, primeiro por derechazos seguindo por naturais, termina com uma dosantina e um ajustado quite de bernardinas debaixo de fortes aplausos. Cortou uma orelha com forte petição de segunda.
No seu segundo Morante escutou os olés no quite por chicuelinas, na faena de muleta viu-lhe poucas condições, e tinha poucas, e depressa lhe cravou meia estocada em sorte natural, silêncio e assobios para toiro.
Cinquenho o quinto da tarde para Roca Rey, uma faena de cortar a respiração onde o diestro Peruano cortou as duas orelhas e saiu pela porta grande. De salientar que sofreu uma aparatosa voltareta, felizmente sem consequências.
O último da tarde coube a Gines Marin, um astado algo brusco de investidas, mas onde o jovem toureiro se impôs com o seu saber e valentia, cortou uma orelha e abriu também ele a porta grande. 
 Casa cheia onde foi lidado um curro de Daniel Ruiz que em pouco contribuiu para que a tarde tivesse tido outra história....