Filipe Gonçalves triunfa na Terrugem com um toiro de "volta" de Calejo Pires

Cumpriu-se mais um ano a tradição da corrida de toiros integrada nas festas em honra de Santo António da Terrugem. Um cartel composto pelos cavaleiros Filipe Gonçalves, João Moura Caetano e o praticante Francisco Núncio para lidar um curro de cinco toiros(???) da ganadaria Calejo Pires. Os sinais interrogatórios não são uma questão, são uma crítica, espero que tenha sido um percalço e não se torne um hábito. Explico porquê, em primeiro lugar porque para mim um dos grandes triunfadores da noite foi o público pela forma como se comportou e soube premiar os artistas quando brilharam e sobretudo pelo silêncio "maestrante" e respeitador na altura das pegas, também pela excelente moldura humana que preencheu a castiça praça da Terrugem, mas sobretudo porque muitos dos espectadores são pessoas que apenas vêem esta corrida durante o ano, facto que só por si merece que seja lidado um curro completo como manda a tradição.
Adiante. Filipe Gonçalves é um cavaleiro já bem conhecido nesta praça, onde, não é a primeira vez que triunfa, no seu primeiro, um toiro tardo de investidas o cavaleiro Algarvio lidou com desembaraço, os dois curtos cravados em último lugar tiveram a melhor nota, com o último a ser cravado sem as mãos nas rédeas, o publico gostou e aplaudiu e Filipe cravou mais um de palmo para rematar a lide, foi premiado com volta. O triunfo chegou com o quarto da noite, desta vez a máxima teve que ser adaptada : "não há quarto mau" e cumpriu - se, pois o astado foi premiado com volta para o ganadeiro, dada pelo campino em sua representação. Filipe Gonçalves optou por citar de largo para aproveitar as francas investidas do toiro e cravar ferros uns  a quiebro, outros com batidas ao piton contrário, rematados com ajustadas piruetas na cara do oponente. Para rematar a lide sacou o famoso cavalo que "bate palmas" , o Xique, cravou um par de bandarilhas e terminou com um de palmo. Teve volta triunfal e escutou as maiores ovações da corrida.
João Moura Caetano teve uma lide ao estilo clássico no seu primeiro, um toiro ao qual o Cavaleiro de Monforte teve que pisar os terrenos para que o toiro investisse. No seu segundo andou de forma regular e cumpriu com a ferragem da ordem sem grandes alaridos, tudo por culpa do astado que apresentou condições de manso desde o início ao fim da lide, em ambos os toiros foi premiado com volta.
O cavaleiro praticante Francisco Núncio andou desembaraçado com o toiro que lidou, um pouco de velocidade a mais, assim como de precipitação foram os erros deste cavaleiro de dinastia, no fim de contas erros normais de quem está a começar nesta difícil arte, o que conta foram os bons momentos que também teve, com alguns ferros de verdade, assim como uma "presença toureira" muito digna, lembrando e fazendo jus ao sangue que leva nas veias. Foi premiado com volta. 
O curro de toiros da ganadaria de Calejo Pires estavam bem apresentados com nota negativa para o segundo de Moura Caetano e nota alta para o lidado em quarto lugar por Filipe Gonçalves que foi premiado com volta. 
Dois grupos de forcados em praça para pegar os toiros que vieram das bandas de Vila Nova da Baronia, e que chegaram com força à hora da pega, os de Évora, que optaram por rodar malta nova, pegou Luís Januário à segunda, depois no segundo do lote uma tentativa de Rui Bento que saiu lesionado, depois Rui Gomes executou cinco duras tentativas saindo também lesionado, o toiro acabou pegado por António Alves com uma tentativa. Fechou pelo grupo eborense José Maria Caeiro ao segundo intento.
O outro grupo em praça, Forcados Académicos de Elvas pegaram os seus dois toiros à segunda tentativa por intermédio de Gonçalo Machado e André Bandeiras.
A corrida foi dirigida com todo o acerto pelo Diretor Sr Agostinho Borges, coadjuvado pelo Médico Veterinário José Miguel Guerra.
 As muito concorridas festas da Terrugem são sempre enriquecidas com a tradicional corrida de toiros, com a aficion a crescer, também a forcadagem da terra está a dar frutos, Filipe Santos pegou na sexta feira na praça de toiros de Albufeira ao serviço do Aposento da Moita e à mesma hora Joaquim Ramalho pegava no Coliseu do Redondo ao serviço dos forcados Redondenses.

 

Alter 24 de agosto19
Go to top