Campo Pequeno: Em noite dedicada ao Emigrante triunfaram os touros Sorraia e Duarte Pinto

Campo Pequeno, corrida de toiros do emigrante, na temporada "torista" uma ganadaria que define bem o termo, Vale de Sorraia.

Vai longe o tempo em que Fernando VII de Espanha ofereceu uma ponta de Vacas ao Rei D. Miguel I de Portugal, ganadaria aos dias de hoje pouco "comercial" mas essencial à festa. Preservada com afición pela família Ribeiro Telles até aos dias de hoje, e ironia do destino, ou não, é a primeira vez passados setenta anos que lida um curro de toiros completo na primeira praça do país.

Rui Salvador cumpriu precisamente neste dia, trinta e quatro anos de alternativa nesta mesma praça, tendo como padrinho de alternativa José Mestre Baptista e como testemunha João Moura. Rui Salvador apresentou-se hoje como padrinho de David Gomes e Andrés Romero que confirmaram alternativa nesta noite.

Andrés Romero recebeu o primeiro da noite à porta gaiola de jaqueta em punho, um rejoneador que "respeitou" a catedral do Toureio a cavalo e esqueceu um pouco o rejoneio, toureou de verdade,  quarto e quinto ferros curtos de grande nota com vistosos remates na cara do oponente, numa lide sempre a vir a mais, frente a um grande toiro de Vale Sorraia. Pecou a inexplicável exigência do Director Tiago Tavares em lhe dar música tardiamente, assim como não ter dado volta ao ganadeiro.

Arriscou David Gomes na porta gaiola, que arrepiou pela velocidade e acometida do toiro, pecando apenas pela deficiente colocação do ferro, remonta a lide que vem sempre a mais, exímio na brega, crava três ferros curtos de antologia, remata com mais um grande ferro a pedido do público, sofre forte colhida em tábuas quando recolhia os aplausos do público perdendo a cara ao bravo toiro que teve pela frente. Mais uma vez ficou o lenço azul no bolso do Director.

Rui Salvador sofreu um forte toque na montada logo no primeiro de três compridos que cravou. Nota positiva para a lide do cavaleiro dos "ferros impossíveis".

Brito Paes teve pela frente um toiro mais reservado, mas que investia quando o cavaleiro lhe pisava os terrenos, uma lide esforçada com bons momentos e que agradou ao respeitável.

Manuel Telles Bastos recebeu também em sorte de gaiola o seu oponente, que depois de sair se desinteressou da montada. Telles Bastos andou dentro do classicismo que o caracteriza, tendo pela frente um toiro mais reservado mas que tinha lide, encontrando o cavaleiro toiro nos diversos terrenos que escolheu para lidar e cravar ferros de boa nota.

Duarte Pinto cravou dois compridos de elevada nota, no primeiro curto escutou música, e no terceiro citou de praça à praça entrando pelo toiro com este a entrar pelo estribo e "cravar-se" no ferro, mais três ferros de alta nota, cites de largo e investidas francas, com os ferros a ficar no alto do morilho. Uma lide para aficionados que empolgou as bancadas e sagrou Duarte Pinto como triunfador da noite. Deu duas aplaudidas voltas.

Finalmente saiu o lenço azul e merecida volta para o ganadeiro no último toiro da noite.

Três grupos de forcados em praça Amadores do Montijo sendo caras João Paulo Damásio a segunda tentativa e João Pedro Suissas à primeira. Real Grupo de Forcados de Moura: Gonçalo Borges na pega da noite  à primeira tentativa e Rui Branquinho à terceira. Pelos Amadores de Turlock foram caras o cabo George Martins Jr e Steve Camboia ambos à primeira tentativa.

Bom curro de toiros da ganadaria Vale de Sorraia com destaque para os "salgados", numa noite em que as bancadas estavam preenchidas em cerca de três quartos

Go to top