Tomar: Houve bom toureio numa noite que terminou com Fado e Flamenco

A Praça de Touros José Salvador, em Tomar, recebeu esta sexta-feira, dia 10 de Agosto, um espectáculo de homenagem ao Emigrante. Um espectáculo constituído por uma corrida de touros e ainda um momento musical de Fado e Flamenco.
A corrida de touros contou com os cavaleiros Rui Salvador e Ana Batista que lidaram quatro touros da Casa Prudêncio. Pegaram os Forcados Amadores de Tomar e Turlock.


Os quatro touros Prudêncio saíram à arena justos de apresentação, mas a cumprir na generalidades e que permitiram aos artistas uma boa noite de toureio.
O cavaleiro Rui Salvador, a actuar em casa, realizou duas lides de boa nota. O cavaleiro que no dia anterior cumpriu 34 anos de alternativa, entregou-se e proporcionou bons momentos de toureio, pois em ambas as lides pudemos ver sortes bem preparadas, com o cavaleiro a pisar terrenos de compromisso e a cravar bons ferros. Duas lides que fizeram soar fortes ovações.
Também Ana Batista esteve em plano elevado, aproveitou as boas condições dos dois touros que teve pela frente. Foram duas lides com raça e valor. Ana andou a gosto e deixou bons ferros em sortes frontais.
Uma noite de bom toureio, aquele que se viveu no dia 10 de agosto em Tomar. 
No que diz respeito às pegas, a noite também foi calma. Pelos Amadores de Tomar foram caras Joel Santos, à segunda e Daniel Leiria, à terceira. Já pelos amadores de Turlock, pegaram David Sanchez, à primeira e Patrick, á segunda.
O espectáculo taurino foi dirigido por Lourenço Luzio, assessorado pelo Médico-veterinário José Luís Cruz.
Destaque ainda para o publico de Tomar, que é bastante caloroso para os artistas, dando assim uma outra vida ao espectáculo.
O espectáculo musical contou com os fadistas António Pinto Basto, Lenita Gentil e Teresa Tapadas acompanhados por Luís Ribeiro na guitarra portuguesa e João Filipe na viola de fado. A componente de flamenco esteve a cargo de Joaquín Moreno, El Maleno, Sofia Abraços, Carlos Mil Homens e Ramon Barrera.
A noite continuou 15 a 20 minutos depois com um espectáculo de fados e flamencos, que poderia ter sido bem melhor, pois para começar e para o espectáculo não perder ritmo o palco deveria ter sido montado num outro espaço da praça, para que, assim que terminasse a parte taurina começasse a parte musica e não se estar à espera que se montasse toda a logística normal de um espectáculo de música. Depois com a noite a prolongar-se, o frio e o vento começou a partir sentir-se e o público começou a sair, pois o espectáculo no seu total já levava quase quatro horas.
Ainda assim houve oportunidade para se ouvir bom fado, destaque para Teresa Tapadas e António Pinto Basto.
Nota muito negativa para os intervenientes no espectáculo tauromáquico, em que assim que terminou a sua função, se foram embora… e quando António Pinto Basto dedicou um fado às gentes da festa, chegou e… ninguém agradeceu, pois já só estava Rui Salvador e a sua quadrilha e era porque era ele o promotor. Lamentável, pois Tauromaquia é cultura, tal como o Fado e o Flamenco, por acaso estas duas Património Mundial da Humanidade, pela UNESCO.

Go to top