Pablo_Montijo28junho19

Rafael Vilhais fala da corrida das Caldas e diz “Temos é que fazer as coisas mais ou menos bem-feitas, bem programadas, bem vendidas” (c/som)

A Praça de Touros das Caldas da Rainha receberá esta quarta-feira, 15 de Agosto, a sua tradicional corrida de touros, esta que será promovida pelo empresário Rafael Vilhais.

 

Em declarações ao Toureio.pt, Rafael Vinhais fala sobre esta corrida e diz que “depois do sucesso do 28 de Julho em que a praça esteve a abarrotar, acho que este é um cartel jovem com o Filipe Gonçalves, João Ribeiro Telles e Francisco Palha, e os touros da ganadaria Dr. António Silva estão excelentemente apresentados, na comemoração dos 25 anos do Grupo de Forcados Amadores das Caldas, que a meu ver e bem, não pegam os seis touros sozinhos. Foi muito bem pensado. Convidou-se o grupo de Forcados Amadores de Santarém, que é o grupo mais velho em Portugal. Três touros para cada um. E o 15 de Agosto é o 15 de Agosto! Nas Caldas, o público acode, o tempo vai estar bom e penso que vamos ter uma enchente, outra vez!”

Vilhais falou ainda dos artistas, dizendo que “ o Filipe Gonçalves teve um grande êxito em Abiul, ontem [sábado] na Póvoa de Varzim, espero que hoje na Aldeia da Ponte esteja bem, e só numa semana toureia oito. O Francisco Palha tem vindo a subir, é uma época em que tem estado bem… Muitas vezes as pessoas pensam que está tudo feito e que 2 e 2 são 4. E 2 e 2 não são 4.”

 

O empresário demonstra ainda boas perspectivas para o evento dizendo que “penso que vai ser uma enchente. Às vezes nem é apenas uma questão financeira, é uma questão para o êxito do espectáculo, para dizer que estamos vivos, que isto é a nossa tradição”.

 

Questionado que o êxito de um espectáculo tauromáquico está relacionado com um maior desenvolvimento económico local, Rafael Vilhais, confirma e diz que “se houver beneficio económico para uma localidade, é beneficio também para as próximas corridas, para a festa dos touros. Ou seja, se eu ganhar no meu restaurante ou no meu hotel, se calhar para o ano que vem tenho que ir gastar dinheiro em três ou quatro bilhetes para uma corrida de touros”, acrescentando ainda que “se o dinheirinho for dividido por todos é importante. E temos que pensar nisso. No Interior, não apenas nas cidades como há o Campo Pequeno em Lisboa… O nosso Alentejo, o nosso Ribatejo, as praças de touros, tudo isto é importante, manter tudo isto vivo. Não venham com histórias que a tauromaquia está a decair porque é pura mentira. É exactamente o contrário, tenho exemplos este ano que ela está a crescer, portanto espero que isso se mantenha. Temos é que fazer as coisas mais ou menos bem-feitas, bem programadas, bem vendidas, como eu costumo dizer. Isto não é um projecto de imediato, é um projecto que temos que nos manter, temos que o saber vender.”

 

Go to top