Pablo_Montijo28junho19

"Nós não seríamos o concelho que somos hoje, se não tivéssemos esta afición", diz autarca de Pombal (c/som)

Nos primeiros 15 dias de Agosto a localidade de Abiul está em festa, não só com as festas locais, mas também com a realização de uma minifeira taurina, que ano após ano atrai milhares de pessoas a esta povoação do concelho de Pombal.

O Toureio.pt esteve no passado dia 14 de Agosto em Abiul e falou com o Presidente da Câmara Municipal de Pombal, Luís Mateus, que falou sobre a importância da Tauromaquia no concelho.

O Autarca começou por referir que “nós não seríamos o concelho que somos hoje se não tivéssemos esta afición, que marca bem o que os touros significam em Portugal, e por isso se diz que esta é a praça de touros mais antiga de Portugal, demonstrando bem o que tem esta identidade de Pombal com os touros e a importância dos touros para a nossa cultura e para a nossa história. Portanto é significativa esta presença massiva de pessoas, que assistem anos corridos a estas corridas e que demonstram bem a afición local mas também regional que aqui continua a ter uma grande participação popular.”

Questionado sobre a relação entre a realização das corridas de touros em Abiul e um maior desenvolvimento económico do concelho, Luís Mateus, afirma que “é também uma oportunidade para isso acontecer. Hoje, todos esses movimentos feitos pelas pessoas acabam por representar essa possibilidade que todas as oportunidades podem surgir por se conhecer novas pessoas e ir-se a novos locais e no norte de Portugal, se considerarmos, esta é uma das praças mais a norte do nosso país, que tem um factor interessante que eu acho que a economia acompanha e que pode ser explorado evidentemente.”

Já sobre a ligação da população aos touros, bem como o apoio autárquico, o Presidente do Municipio diz que “falo por uma esmagadora maioria dos pombalenses enquanto presidente de câmara e enquanto autarca há muitos anos, que é esta identificação da nossa terra com os touros de há muitos séculos, nessa tradição histórica que nos identifica e nos dá essa pertença mas também uma grande sobriedade do que são estas discussões e ao papel que tem para a nossa cultura. E quem representa a população tem que estar identificado com ela, com os seus valores, e isso aqui em Pombal acontece com uma esmagadora presença de pessoas e de afición que mesmo que não venha à praça demonstra muito desse acompanhamento. Nas juntas de freguesia, na assembleia municipal e na câmara municipal é uma pesada e larguíssima maioria de cidadãos que subscreve a tauromaquia ao nosso concelho.”

O Autarca foi ainda questionado sobre qual a fatia no orçamento municipal destinada ao apoio da Tauromaquia, tendo este respondido que “damos o apoio às festas, evidentemente, mas esta também é uma forma de a junta de freguesia aumentar os seus orçamentos desde que tenha boas casas, um bom cartel, bons touros, bons espectáculos e essa deponência do público e é isso que tem acontecido e portanto temos pontualmente situações de reparação do imobilizado, da praça, da iluminação, das condições que são requeridas pela IGAC, mas acima de tudo para se garantir a promoção dos eventos e a continuação da afición em Pombal.”

Instado a comentar a situação de outras autarquias em quererem proibir as touradas, Luis Mateus diz que “a resposta que se deu na Póvoa foi muito significativa sobre isso tudo, portanto acho que quem o quer fazer deve ser honesto com a população e deve dizer, quando é candidato, que vai acabar com as corridas de touros e não fazer estas surpresas a meio do mandato à revelia do que foi proposto quando foi eleito. E essa falta de respeito pelos nossos cidadãos dá um grande descrédito à política e não pode ser cobardemente e à traição que se tomam estas decisões. É bom que depois também sejam medidos os respectivos sentidos e significados da presença do público nas manifestações e da afición quando isso acontece.”

 

 

 
Go to top