“Gostamos de tourear touros bons e fáceis mas também somos capazes de tourear touros difíceis”, diz o cavaleiro João Moura (c/som)

A Praça de Touros do Campo Pequeno recebeu esta quinta-feira, 6 de Setembro, uma corrida de touros à portuguesa na qual se comemorou os vinte anos de alternativa de Rui Fernandes, com um cartel composto por João Moura, Pablo Hermoso de Mendoza e Rui Fernandes perante um curro de toiros de António Charrua. Pegas a cargo dos Forcados Amadores de Évora e Alcochete.

No final o Toureio.pt falou com o cavaleiro João Moura que falou sobre esta sua atuação no Campo Pequeno, afirmando que “realmente toureei bem, entrei ao sitio, foi uma lide com emoção, o touro transmitia e era preciso pisar o terreno, tentei, e acho que consegui. O touro tinha perigo, e os touros quando transmitem perigo, as pessoas reagem com mais facilidade. E tem que se pisar os tais terrenos que eu chamo ‘de dinheiro’ né?!”

Sobre os tipos de touros, João Moura acrescentou que “gostamos de tourear touros bons e fáceis mas também somos capazes de tourear touros difíceis. Acho que o provei ao longo da minha carreira e gosto destes touros porque é preciso entrar ao terrenos deles”, dizendo ainda que “os touros que impõe e transmitem perigo chegam mais às bancadas e as faenas são mais luzidas.”

 

Go to top