Empresários "conhecem cadernos de encargos portanto virem queixar-se à posteriori não faz sentido” diz Presidente da SMT (c/som)

Na passada semana a Praça de Touros Daniel do Nascimento, na Moita, recebeu a tradicional Feira Taurina por ocasião das Festas em Honra de Nossa Senhora da Boa Viagem.

Uma feira que voltou a não registar a adesão de público que se verificava outrora, tendo mesmo o empresário Rafael Vilhais afirmado ao Toureio.pt que “ou se altera ou isto acaba. Não estou a dizer que acaba dessa forma mas tem que se adaptar à situação real… Ninguém está para investir aqui se isto não der minimamente o rendimento para se poder seguir com as coisas”.

O Toureio.pt falou também com o Presidente da Sociedade Moitense de Tauromaquia (SMT), Pedro Brito de Sousa, que começou por dizer que “não acho que tenham sido assistências fracas, não foram enchentes…”, acrescentando que “todas as corridas este ano tiveram mais gente que o ano passado, não foram enchentes totais, no entanto a afluência do público melhorou. O que é necessário para vir mais gente à praça? Gostava de ter essa receita para a passar ao empresário. Como sabe não sou empresário, mas penso que a tendência é para melhorar.”

Confrontado com as declarações de Rafael Vilhais, o dirigente da SMT é peremptório ao dizer que “surpreende-me essas declarações porque todas as empresas que concorrem à praça da Moita conhecem o caderno de encargos portanto virem queixar-se à posteriori não faz sentido… Quando concorrem à praça da Moita sabem ao que concorrem. Se sabem e concorrem, não é depois que se vêm queixar…Ninguém lhes exige mais depois de terem ficado com a praça.”

Sobre a continuação do empresário Rafael Vilhais na Moita, Pedro Brito de Sousa refere que “o Rafael tem mais três anos de contrato, é um facto que o contrato pode ser denunciado por qualquer uma das partes, não sei o que é que ele pensa fazer. Nós toda a via cumprimos os nossos contratos e esperamos que ele faça o mesmo. Estamos contentes com o Rafael.

Sobre possíveis alterações a fazer no caderno de encargos em próximos concursos, o Presidente da SMT diz que “há um caderno de encargos e nós temos sido muito flexíveis com esse caderno de encargos. Temos, e se perguntar ao Rafael penso que lhe vai confirmar isso, ajudado a empresa em várias vertentes e em muitas coisas. A nossa relação com a empresa é confidencial. Pelo menos da nossa parte, mas posso dizer que temos ajudado a empresa em todas as coisas. O êxito da empresa é o nosso êxito e é para isso que nós trabalhamos.

 

 

Alter 24 de agosto19
Go to top