“Aqui estão os verdadeiros aficionados, um público exigente, que reage aos grandes momentos pela positiva”, diz Ricardo Levesinho (c/som)

A Palha Blanco recebeu ontem o último espectáculo da intitulada Feira de Outubro e Ricardo Levesinho, gestor do tauródromo, fez um balanço e assumiu que nem tudo correu bem, numa entrevista concedida ao Toureio.pt

O mano-a-mano Telles-Ventura esgotou a Palha Blanco e Levesinho referiu que “sonhamos todos com estes momentos. Este acontecimento foi pensado desde início, graças a Deus, os aficionados vestiram a camisola, acreditaram neste projecto. Acreditaram nisto como seu e aqui está uma moldura humana lotada nesta Palha Blanco, uma praça mítica”.

Acrescentou ainda que “aqui estão os verdadeiros aficionados, um público exigente, que reage aos grandes momentos pela positiva, incentiva, puxa pelos toureiros quando não estão assim tão bem… e pelo que passa do público aqui para baixo é uma atmosfera, repito, exigente e que os toureiros sentem e que querem, assim, fazer o seu melhor. Penso que até agora o espectáculo está a ser extremamente interessante”.

Mas balanceando as duas corridas anteriores, aniversário da praça e concurso de ganadarias, foi pragmático e assumiu que “muito público hoje, lotação esgotada. Nas outras corridas abaixo das expectativas, temos que rever o modelo. Acreditávamos que este modelo de 3 corridas seria suficiente porque era aquilo que os aficionados nos pediam, mas pouca gente nos outros dois espectáculos. Vamos rever e assim ver se temos fórmulas para colocar Vila Franca naquilo que nós achamos que Vila Franca merece”.

Terá o público esperado por esta corrida, Telles-Ventura, e por isso deixado as outras? “Coloco essa situação mas penso que os outros carteis também estavam rematados. E só por si mereciam público, também”, disse.

 

Go to top