Marco Ramalho fala ao Toureio.pt sobre a situação do alegado “veto” da ANGF (c/som)

Como noticiamos, a Praça de Touros da Granja recebeu este sábado (9 de Setembro) um festival taurino promovido pelo jovem empresário Marco Ramalho.

Um festival que fica marcado pela polémica com a Associação Nacional de Grupos de Forcados (ANGF), que alguns dias antes alertou os Grupos de Forcados anunciados, São Manços, Póvoa de São Miguel e Monsaraz, para as consequências que poderiam ter se actuassem neste festival. A ANGF alegava na comunicação interna que fez, que estava direta ou indiretamente ligado a este festival Florindo Ramalho, que está alegadamente “vetado” pela referida associação.

O Toureio.pt falou com Marco Ramalho, para fazer um balanço deste festival e esclarecer quem organizava este festival.

O jovem empresário Marco Ramalho foi parco em palavras, começando por dizer que “Desde já o balanço é positivo, uma boa moldura humana, um cartel bem montado, está a correr na maior expectativa”.

Sobre o caso da ANGF, o empresário refere que “como empresário não vejo o porquê de a associação não deixar pegar os grupos de forcados”.

Questionado se Florindo Ramalho tinha efetivamente alguma coisa a ver com a organização do festival, Marco afirma que “Nada. A empresa é Marco Ramalho, não tem nada a haver com Florindo Ramalho, não vejo o porquê de os grupos de forcados que estão na associação não poderem pegar para mim, mas há uma justificação que ainda pode vir a dar algumas coisas.”

Questionado se irá avançar para a via judicial, o jovem empresário diz apenas que “ainda está para ser ver”

 

Alter 24 de agosto19
Go to top