Presidente da Prótoiro diz que Dia da Tauromaquia foi uma “afirmação pública, sem vergonha, daquilo que são os nossos gostos” (c/som)

A Praça de Touros do Campo Pequeno, em Lisboa, e a área envolvente, acolheram esta sábado (23 de Fevereiro) o Dia da Tauromaquia, no qual se pretendeu fomentar e promover a cultura tauromáquica.

O Toureio.pt falou com Paulo Pessoa de Carvalho, Presidente da Federação Prótoiro, que fez o balanço deste evento dizendo que “o balanço é extremamente positivo quer em termos de adesão de público, quer em termos de programa, quer o próprio espectáculo. Acho que hoje houve aqui reflexo e tivemos aqui resposta daquilo que tem sido esta crescente onda de apoio à tauromaquia. Duma afirmação clara e pública, sem vergonha, daquilo que são os nossos gostos, as nossas crenças e no fundo aquilo que faz parte de nós.”

Pessoa de Carvalho diz ainda que “a reposta é positiva, a começar pela composição do cartel, os toureiros não gostam de tourear a duo, explicámos muitas vezes que o que procuramos aqui é bons momentos de toureio, e tivemos. Mas acima de tudo uma situação de adesão global. E portanto nesse princípio não podemos estar a escolher 3 ou 4 toureiros. Temos de escolher um naipe alargado e nesse sentido penso que tivemos aqui as principais referências daquilo que é o toureio a cavalo e o toureio a pé em Portugal. Obviamente que podiam estar aqui mais nomes, por isso não estiveram aqui os oito melhores toureios a cavalo nem os três melhores matadores, os três melhores matadores se calhar é mais fácil dizer, mas se calhar reuníamos mais meia dúzia de nomes para estar aqui. Pela antiguidade, pelos anos que estão no activo, penso que reunimos aqui famílias, não teve o João Moura mas teve o seu filho Moura Jr, há aqui um conjunto de situações que pelo cartel foi um sucesso.” Já sobre a participação dos forcados neste festival, o Presidente da Prótoiro diz que “relativamente aos forcados lamento, digo publicamente, gostava que a ANGF estivesse estado no pleno da representação mas esteve cá a ANGF e os forcados que quiseram estar e como só faz falta quem está, os que cá estiveram foi os que tivemos. Os outros estão aí nas bancadas, já os vi, eu gostava muito que estivesse um elemento de cada grupo com a jaqueta vestida mas isso é uma questão menor neste grande dia que aconteceu”.

Tivemos esta manifestação de recortadores, o forcão, esta fantástica exibição de toureio a cavalo do Duarte Fernando e António Telles Bastos, tivemos miúdos a treinar como forcados, tivemos as escolas. Eu acho que tudo foi um sucesso, de facto. E acho que o resumo é extremamente positivo. Depois a adesão durante o dia foi fantástica, a sensação que eu saio é que tivemos aqui coisas a mais para mostrar, não houve oportunidade de ver todas em detalhe, mas as coisas são mesmo assim. Não há falta que não dê em fartura e acho que quem veio cá sai com barriga cheia. Em termos de público o Campo Pequeno teve cerca e 4500 bilhetes vendidos o que é muito bom e portanto acho que estamos todos mesmo de parabéns”, acrescentou Pessoa de Carvalho.

Instado sobre o grande número de jovens presentes no evento, o Presidente da Prótoiro deixa claro que “a relação com o touro tem-se mas não é a ver uma tourada, pode acontecer pontualmente, mas a relação com o touro é uma coisa que vem de pequenino e perceber a amplitude do que é a festa brava é muito importante e portanto aqui hoje foram muitos momentos virados para as crianças mas sempre no sentido pedagógico mostrando no fundo aquilo que são as actividades que compõem a tauromaquia, com todos os sectores aqui aglomerados, desde correeiros, emboladores, alfaiates, tudo aquilo que está ligado ao touro, as próprias escolas, o baptismo equestre, até porque os mais novos também são mais curiosos e de quererem experimentar novas sensações. É fundamental que as crianças e os mais pequenos tenham contacto com a tauromaquia nesta sua vertente mais pedagógica e amiga.”

 

 

Go to top