Pablo_Montijo28junho19

Francisco Palha poderá estar parado mais de 5 semanas, mas “valeu a pena”, “porque o que eu faço é por amor”, diz o cavaleiro (c/som)

Francisco Palha poderá estar parado mais de 5 semanas, mas “valeu a pena”, “porque o que eu faço é por amor”, diz o cavaleiro (c/som) Foto: Arlindo Homem/Infocul

Conforme o Toureio.pt noticiou, o cavaleiro Francisco Palha foi aparatosamente colhido no passado dia 12 de Maio na Praça de Touros de Salvaterra de Magos.

Após a colhida ainda regressou à arena para terminar de lidar o touro, mas depois recolheu à enfermaria e já não lidou o seu segundo touro. Palha foi depois transportado para o Hospital de Vila Franca de Xira onde realizou um conjunto de exames.

O Toureio.pt falou agora com Francisco Palha a fim de saber qual é realmente o seu estado de saúde e por quanto tempo irá estar parado. O jovem cavaleiro disse-nos que ainda está “um bocadinho combalido”, acrescentando que “isto não é tão fácil como eu pensava, os resultados da ressonância chegaram ontem [quarta-feira], os resultados hoje [quinta-feira], fiz uma luxação completa do ombro, parti um bocado da cabeça do ombro, e tive um desarranjamento de uma cápsula qualquer que tenho aqui, que pega ao osso. Não sei quanto tempo é que vou estar parado, depende de como tudo isto responder à fisioterapia.”

Relativamente ao tempo de paragem, Francisco Palha adianta-nos que “inicialmente se não houvesse este tipo de desarranjamento eram 4/5 semanas parado. Agora havendo isto não sei”, acrescentando que “depende um bocadinho a evolução da fisioterapia”.

Palha é perentório e diz que “valeu a pena. A corrida de Salvaterra é das que marcam a minha carreira. Porque o que eu faço é por amor, e acho que consegui demonstrar que amo a profissão que tenho e tento ao máximo respeitar o touro, o cavalo e aos aficionados que são quem paga bilhete para nos ir ver e ao fim e ao cabo são quem nos alimenta esta paixão dia-a-dia.”

Questionados se valeu a pena, mesmo sacrificando a saúde, tendo este respondido que “mesmo sacrificando a saúde. O mais importante é darmos a cara a 100% todos os dias, uns dias correrá bem e outros mal mas estou muito contente com o desfecho de tudo, porque o ombro é o menos e hei-de conseguir recuperar mas pelos aficionados ficaram contentes com a corrida, os touros e os toureiros, cada um à sua forma.

Go to top