“Acho que estamos a tocar nas teclas exactas”, diz Rui Bento Vasques sobre os espectáculos ao Sábado (c/som)

O Campo Pequeno acolheu este sábado, 28 de Abril, a novilhada de promoção aos novos valores da tauromaquia. O Toureio.pt entrevistou Rui Bento Vasques sobre os espectáculos aos fins-de-semana e ainda sobre a importância da novilhada.

Nós estamos, esta temporada, a tentar mudar algumas coisas e uma dela é provar ao fim-de-semana, como poderia responder o público, sobretudo na fase de primavera, como é o caso, ou na fase de outono, e claramente temos a convicção, como demonstra a presença de público, e sobretudo a tranquilidade e disponibilidade como as pessoas estão a disfrutar das actuações dos cavaleiros, forcados e novilheiros, está a ser muito agradável”, acrescentando que “acho a presença de público muito boa, para uma novilhada, e acho que estamos a tocar nas teclas exactas. É evidente que há muitas coisas para ir ao encontro dessa melhoria e dessa superação que queremos ter de espectáculo em espectáculo, mas para já a indicação é muito positiva” referiu, quando questionado sobre a aposta de espectáculos tauromáquicos no Campo Pequeno a um sábado.

 

Mas quando à possibilidade de anunciar espectáculos, próximos, para sábados, foi prudente, “eu penso que ainda é cedo” esclarecendo que “as corridas que estão anunciadas vão ser dadas nas datas em que estão anunciadas. Temos a questão da corrida que será a 23/24 de Agosto, quinta ou sexta, eventualmente talvez para Setembro haja alguma possibilidade de alteração. É importante perceber que o Campo Pequeno aparte das corridas tem outros eventos e uma agenda muito preenchida. Talvez nesta temporada possa vir a acontecer numa ou outra noite, mas não em muitas mais, precisamente pela agenda preenchida”. Mas deixou também a porta aberta para anos vindouros, “mas o que não quer dizer que para o ano que vem, ou futuros, se comece a marcar as corridas com maior antecipação e com prioridade sobre outros eventos para que se possam dar mais espectáculos ao fim-de-semana”.

 

Sobre o balanço da novilhada, Rui Bento Vasques abordou todas as iniciativas levadas ao longo do dia, “eu penso que no conjunto do dia foi fantástico. Desde o treino com o Grupo de Forcados Amadores de Lisboa, o concurso de toureio de salão que foi um momento único e inolvidável pela quantidade de miúdos a tourear, de salão, tão bem, o público disfrutou porque de repente ver 50 miúdos a tourear com capote, bandarilhas e muleta parecia uma coisa que não ia acontecer em Portugal e com esta facilidade. Depois, a novilhada, com a resposta do público, a entrega dos toureiros, os novilhos cada um com as suas matizes mas a colaborarem e a proporcionarem uma boa noite de touros (…) e que a partir daqui comecem novos sonhos a surgir e novas perspectivas de novos toureiros”.

 

 

Go to top