Associação de Toureiros terá nova sede mas “não há nenhum investimento louco, antes pelo contrário”, diz presidente Nuno Pardal (c/som)

A Associação Nacional de Toureiros terá a curto prazo uma nova sede, saindo da velhinha “casa” na Praça da Alegria, em Lisboa.

Em declarações ao Toureio.pt Nuno Pardal, Presidente da Associação, revela que “muito em breve, num prazo de seis meses, vamos mudar da nossa velhinha sede na Praça da Alegria para um sitio ainda a divulgar, porque ainda não está escolhido na sua plenitude.”

A nova sede da associação irá contar com um núcleo museológico, tendo Nuno Pardal explicado que “que não é bem um museu, o que acontece é que temos um espolio riquíssimo da história da associação e do sindicato e do fundo de assistência e queríamos que o espaço agora escolhido fosse moderno e conseguir de forma a catalogarmos tudo o que lá temos e expor de forma a que os aficionados e toureiros consigam estar na ‘sua’ casa e ver o que lá temos.”

Questionado sobre o valor do investimento, tanto da compra do novo imóvel, como da construção do núcleo museológico o Presidente da Associação esclarece que não há qualquer tipo de gastos, dizendo que “ a sede que tínhamos foi vendida e vamos comprar melhor do que aquilo que vendemos, portanto não há nenhum investimento louco, antes pelo contrário. Nós conseguimos, numa boa conjuntura, vender bem e vamos comprar melhor ainda. Por isso, não vai haver nenhuma despesa adicional.”

Sobre a nova sede Nuno Pardal, afirma que “será em Lisboa. Tivemos assembleia há um mês atrás, foi dada autorização para que a direcção negociasse a melhor venda. Vendemos. Agora estamos naquela fase de procurar os melhores sítios. Já começámos a ver, já vimos espaços que gostámos mas ainda não há nenhuma decisão final. Portanto não é bluff. Ainda vamos ver alguns imóveis. Será em Lisboa.”, acrescentando ainda que “nós queremos comprar algo que este edifício já não nos oferecia, estamos a falar de um edifício que tem mais de 100 anos e portanto queremos ir para um sitio que tenha condições para as pessoas que lá trabalham e que lá nos visitam.”

 

Go to top