“As favas cozem-se a nível político neste momento” diz Vitor Mendes sobre os ataques à presença das crianças na tauromaquia (c/som)

Nos últimos tempos um dos principais ataques anti taurinos à Tauromaquia é a presença de crianças tanto nas arenas como simplesmente a assistir. Ataques que têm sido refutados com acções da Federação Prótoiro como também pela Associação de Tertúlias Tauromáquicas, tendo mesmo esta ultima reunido recentemente com a presidente da Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens.

Sobre este assunto o Toureio.pt falou com o matador de touros português Vítor Mendes, que actualmente dirige a Escola de Toureio José Falcão, dando assim formação a dezenas de jovens.

Vítor Mendes afirma que “as favas cozem-se a nível político neste momento”, acrescentando que “é nesse ringue do campo politico que as coisas têm de ser pensadas, têm de ser estruturadas, muito bem estudadas e defendidas, porque há um ataque directo e esse ataque até nem vem exclusivamente a nível nacional, é por mobilizações a nível internacional ajudadas financeiramente por entidades de defesa do animal e estão a atacar o que é a raiz de tudo, que é a juventude”.

Sobre os responsáveis políticos e nomeadamente aqueles que podem tomar decisões, Vítor Mendes diz que “são indivíduos que não conhecem o tema, não estão dentro dele, não estão capacitados, não estão educados, que agora permitem-se no direito de afirmarem as coisas quando não estão dentro delas”.

O matador de touros declara ainda que “como vivemos numa sociedade democrática temos de respeitar, pois estamos a falar de um espectáculo que dá riqueza no pagamento de impostos, dá postos de trabalho, movimenta muita gente e muitas profissões”, acrescentando ainda que “o facto de estarem contra não leva a proibir, nem que estejam no direito a fazê-lo, isso é o que eu tenho como sentido de viver em democracia”.

 

 

Go to top