“Espero que os meus filhos consigam, não ser eu, mas eles a inovar alguma coisa”, diz João Moura na homenagem em Monforte (c/som e fotos)

A Câmara Municipal de Monforte ergueu, nesta localidade do distrito de Portalegre, um monumento em homenagem ao cavaleiro João Moura, este que está a comemorar 40 anos de alternativa.

A cerimónia de inauguração decorreu junto ao monumento, que se localiza junto à praça de touros, tendo iniciado ao som de um passodoble interpretado pela Banda Filarmónica de Póvoa e Meadas, seguindo-se depois os habituais discursos.

O Toureio.pt esteve presente e falou com o hoemangeado, o cavaleiro João Moura que revelou que “são situações em que uma pessoa se emociona, é aquilo que eu sinto, é a minha terra. São 40 anos, as homenagens que para mim estão a fazer, são sentidas e fico muito orgulhoso de ter conseguido chegar até aqui, de me ter conseguido manter na profissão ao mais alto nível durante os 40 anos, para mim dá-me um certo orgulho e vontade de continuar a triunfar e com os meus filhos também metidos na profissão e que me orgulham muito, tendo outro sabor para mim”, acrescentando “são homenagens que são fortes, a minha vida tem sido sempre motivada pela profissão e acho que são importantes”.

Quanto ao facto de ter mudado o toureio nos últimos 40 anos e numa perspectiva para os próximos 40, expressou desejo: “Tentar manter viva o que tenho conseguido e espero que os meus filhos consigam, não ser eu, mas eles a inovar alguma coisa”.

Falamos também com o Presidente da Câmara Municipal de Monforte, Gonçalo Lagem, que começou por dizer que “eu tenho 41 e cresci a ver João Moura. Cresci a gostar de João Moura. Os meus pais levavam-me às corridas, e eu tenho o João Moura como uma referência da minha vida, como um ídolo, porque fui educado nessa condição. Habituei-me a gostar de corridas de touros, habituei-me a gostar de João Moura, o João Moura marcou profundamente a minha vida, faz parte da minha pessoa, da minha história.”

O atuarca acrescenta ainda que “João Moura é um legado, um senhor monfortense que pela sua amizade, pela sua humildade, o seu porto de abrigo sempre foi aqui em Monforte. Apesar de ele ser uma figura mundial, ser reconhecido e distinguido pelas nossas principais autoridades, Presidentes da República, Reis de Espanha, foi sempre aqui que João Moura viveu, era sempre aqui a Monforte que João Moura queria regressar, João Moura é mais um de nós.”

Questionado se o nome de João Moura se confunde com o nome de Monforte, Gonçalo Lagem diz que “eu penso que não podemos falar de Monforte sem falar em João Moura, e ele faz questão de quando fala-se em João Moura, falar-se também de Monforte. Isso é muito giro e muito importante. Mas ele fê-lo de uma forma muito natural, muito espontânea, não fez nada para que isso acontecesse. Ele é uma figura muito carismática e por quem temos um grande apreço, os seus munícipes de Monforte, e hoje foi uma homenagem merecida pelos 40 anos de alternativa, porque lá está, ele faz parte da história de Monforte, influenciou a vida de muita gente, motivou convicções, se não fosse João Moura talvez hoje Monforte não tivesse os peões de brega que temos, não tínhamos o grupo de forcados, não tínhamos mais cavaleiros, porque os seus filhos também são cavaleiros, não tínhamos a constante procura de Monforte para vir mostrar cavalos, ganadeiros, coudelarias, etc, etc. Há portanto também toda uma actividade económica despoletada pelo aparecimento desse fenómeno que foi João Moura.”

Go to top