“O touro não tem que ser um colaborador do toureiro, tem que ser um adversário e o toureiro tem que o dominar”, diz António Veiga Teixeira (c/som)

Tal como já noticiamos, a Praça de Touros do Campo Pequeno recebeu esta quinta-feira, 21 de junho, uma corrida de touros à portuguesa.

No final da corrida o Toureio.pt foi ouvir o ganadero António Veiga Teixeira, que começou por analisar os seus touros dizendo que “eu acho que os touros, independentemente de haver uns melhores e outros piores como sempre, tinham para mim um aspecto muito importante: transmitiam emoção às bancadas. As pessoas estavam pendentes do que se passava na praça, os toureiros estiveram de uma maneira geral muito bem com os touros, tendo em conta que são toureiros que não toureiam muito.”

O Ganadero acrescentou ainda que “é mais fácil para nós ganadeiros quando os toureiros estão dispostos a arriscar também. Portanto tem que ser aqui um binómio, entre o toureiro e o ganadeiro.”

António Veiga Teixeira referenciou ainda que “quando nós criamos o touro, o touro é para o público, o touro não tem que ser um colaborador do toureiro, tem que ser um adversário e o toureiro tem que o dominar. E portanto, quem não vê a festa assim, julgo que está enganado mas cada um pensa pela sua cabeça.”

 

Go to top