Promotores de espectáculos continuam a reivindicar igualdade na taxa de IVA

Nos últimos dias, muito se tem discutido relativamente à discriminação negativa feita pelo Governo Português no que respeita ao IVA dos espetáculos culturais, no Orçamento do Estado para 2019.

Para além do sector tauromáquico, também a Associação de Promotores de Espetáculos, Festivais e Eventos, tem demonstrado o seu desagrado relativamente à discriminação negativa aos espetáculos e eventos realizados em recintos improvisados.

A referida associação refere que “nenhum espetáculo ou artista é mais ou menos importante e que o público deverá ter os mesmos direitos de poder comprar um bilhete com a taxa de IVA de 6%, independentemente do espetáculo se realizar na Altice Arena, no Jardim de Serralves, no Coliseu, no Jardim de Seteais, no Claustro dos Jerónimos, no Multiusos de Gondomar, no Palácio da Bolsa, no Castelo de Leiria, ou num teatro municipal em qualquer ponto do país.

Neste seguimento a APEFE repete a iniciativa realizada em abril, que dá a oportunidade de adquirir hoje, até às 24 horas, bilhetes para mais de 200 espetáculos a um preço onde o promotor vai assumir a diferença e um desconto no preço dos bilhetes. Como se a taxa fosse a 6% e não a 13% como é actualmente.

Contactado pelo Toureio.pt, o Presidente da Associação de Empresários Tauromáquicos mostrou-se solidarizado com os promotores dos restantes espetáculos, que vivem actualmente a mesma problemática. Pessoa referiu-nos que “agora não temos espetáculos taurinos, não podemos realizar esta iniciativa da APEFE, mas estamos a trabalhar noutras iniciativas em que demonstraremos o nosso desagrado, sendo que para já apelamos a todos para assinarem a petição que pede a demissão da ministra e que já tem cerca de 7 mil assinaturas”.

Go to top