Dois anos depois, família de Pedro Primo tem 25 mil euros para pagar ao Hospital de Beja

O Jornal Correio da Manhã está a avançar esta segunda-feira, que o Hospital de Beja está a cobrar cerca de 25 mil euros de despesas hospitalares à família do forcado Pedro Primo, que faleceu a 6 de Setembro de 2017, depois de uma grave colhida na corrida de touros realizada em Cuba.

De acordo com o CM, foi com "grande revolta" que Conceição Cardeira foi confrontada com as despesas hospitalares do filho.

A publicação recorda ainda toda a história de Pedro Primo, que tinha 25 anos, era forcado dos Amadores de Cuba e iria fazer a sua última pega diante de um touro de Ruy de Carvalho. Após a colhida foi transportado para o Hospital de Beja e, dois dias depois, transferido para o Hospital de Curry Cabral, em Lisboa, onde acabou por morrer, com lesões graves no fígado.

Segundo o CM, família tem agora de pagar quase 25 mil euros à unidade hospitalar alentejana e não sabe como fazer face à despesa.

A Mãe de Pedro primo, está desempregada e com dois filhos, revela ao CM, que o Grupo de Forcados Amadores de Cuba lhe prometeu ajuda mas o apoio nunca chegou, revelando ainda que o filho já tinha abandonado o conjunto e, por isso, não tinha seguro que cobrisse eventuais acidentes.

"O meu filho nunca devia ter entrado naquela praça", conta a mãe ao Correio da Manhã. O Hospital de Beja explica ao CM que o caso está a "merecer a atenção" da administração, sem avançar mais pormenores. Já o grupo de forcados não respondeu aos esclarecimentos pedidos pelo CM.

Chamusca_3agosto19
Go to top