Vamos à Moita!

Nesta altura do ano chega a festa que toda a região anseia. Contam-se os dias que faltam para as largadas e para as corridas de toiros, para a Tarde do Fogareiro, para a Regata de Barcos tradicionais do Rio Tejo, de varinos a barcas e a fragatas e, daqui a algum tempo, até uma muleta do Tejo irá competir.

Os arraiais e as tendas de comes e bebes, mais as pistas de automóveis e carroceis ajudam a encher de barulho toda a zona ribeirinha onde os concertos também vão ter lugar.

Mais longe dali, no topo da Av. Teófilo Braga, a praça de toiros Daniel do Nascimento, abarca as esperanças de artistas e espectadores. Todos querem que saiam toiros que invistam, com nobreza e que a sorte lhes sorria. Os jovens sonham com um arranque fulgurante da sua carreira, os mais velhos querem solidificar os seus méritos e os aficionados anseiam por aquela tarde ou noite, onde a corrida resulte “redonda” com toiros e toureiros a darem o seu melhor, para saírem com “a barriga cheia” e com um espectáculo para recordar e discutir nas tertúlias entre umas tiras de entremeada e uma cerveja.

Da nossa vizinha Espanha vêem valores já firmados que querem “competir” ao mais alto nível quer a cavalo quer a pé, com os nossos artistas.

Os que toureiam a cavalo, pelos vistos não escolhem o que lhes vai calhar em sorte, dado que estão num concurso de ganadarias, logo não impuseram o que quer que fosse.

 O meu respeito a estes senhores.

As ganadarias anunciadas dão garantias de qualidade e os artistas também, de modo que agora falta que a Nossa Senhora da Boa Viagem nos abençoe a todos, e a Festa da Moita continue a ser a referência que todos temos.

Go to top