O Dia da Tauromaquia… Um dia para instituir e que aniquilou um grupinho de antis

A Praça de Touros do Campo Pequeno em Lisboa foi, ontem, palco de uma iniciativa da Prótoiro intitulada “O Dia da Tauromaquia”, um evento em muito semelhante ao que aconteceu no ano de 2017 e que se intitulou de BullFest.

Nesse ano de 2017 fui muito crítico relativamente a esse evento, havendo mesmo quem me chamasse de anti-taurino, apenas por criticar construtivamente o evento que ali se realizara, mas como pessoa coerente que sou e que gosto de relatar factos sem esperar nada em troca hoje estarei aqui para ovacionar a organização do Dia da Tauromaquia.

Confesso que desde o início que esta iniciativa foi anunciada estive reticente, pois houve alguns pormenores que poderiam ter decorrido de outra forma, mas se pensam que este sábado me desloquei ao Campo Pequeno apenas procurando do que poderia correr mal, enganam-se.

Mas vamos ao que interessa, o Dia da Tauromaquia foi completamente de promoção da Tauromaquia e da identidade cultural portuguesa, é certo que o programa era praticamente do BullFest, mas desta vez talvez tenha sido melhor organizado, tudo teve ritmo, tudo começou às horas marcadas e houve uma ligação entre os eventos e o público presente.

Em 2017 quem passava em redor do Campo Pequeno, via as actividades a decorrer mas sem participantes, algo pouco convidativo a parar, mas este sábado havia um grande ambiente em torno da Monumental Lisboa e assisti a pessoas que iam a passar na rua e pararam para saber o que se passava e a ficarem a assistir, e era mesmo isto que se pretendia.

Há que salientar ainda outro pormenor, registei com satisfação um grande número de jovens que marcaram presença neste dia, pois para aqueles dizem que a festa está a morrer, a prova do contrário foi essa presença jovem.

Depois outro dos pormenores que observei foi a união entre todos os intervenientes, ou seja respirava-se no Campo Pequeno uma união taurina, que eu espero que perdure para bem da festa, mas nem tudo são rosas… marcamos falta a muitos que se dizem aficionados mas que por ali não se viram, talvez porque neste dia não era para ninguém se evidenciar nem presumir, neste dia quem se tinha de evidenciar e presumir era a Tauromaquia… e assim foi.

E já agora… alguém notou que havia uma manifestação anti-taurina? Pois foram completamente aniquilados perante tal manifestação taurina e neste caso ninguém pagou aos aficionados, muito pelo contrário todas as pessoas que ali estavam ainda pagaram para estar ali, a começar pelas despesas de deslocação, passando bilhete do espetáculo e terminando nos vários artigos que ali podiam ser adquiridos. Na minha opinião acho que para não sofrerem outro vexame a próxima manifestação dos anti-taurinos deve ser feita no outro lado da avenida, ao menos sempre podem mudar de tema e manifestarem-se contra outra coisa, por exemplo contra a fome que muita pessoas passam diariamente…

Em suma foi uma jornada muito positiva onde não se notou a falta do Presidente da Republica, do Primeiro-ministro, da Ministra da Cultura, dos líderes parlamentares, destacamos sim as autarquias que fretaram autocarros para a sua população se deslocar a Lisboa.

E para terminar deixar um repto, porque não instituir um dia especifico para se comemorar o Dia da Tauromaquia? Ou seja, o dia X, ou então o último sábado de Fevereiro ser o Dia Nacional da Tauromaquia, fica o repto.

E assim, terminando deixando as felicitações à Prótoiro e claro a todos os adicionados que ali marcaram presença e foram muitos.

Go to top