Os crimes e a burrice na tauromaquia!

No seguimento do último artigo de opinião assinado por mim, que pode ler aqui, permitam-me a reflexão sobre o que de novo aconteceu no meio tauromáquico e no ridículo de algumas posturas.

O comunicado emitido pela Prótoiro sobre o seu apoio e o do Aliança à transmissão de touradas na RTP é de tremenda futilidade e inutilidade.

O que adianta ter o apoio de um partido sem representação parlamentar? E o que isso influência positivamente a defesa da tauromaquia? Partidarizar a festa não é de todo um bom partido, permitam-me o trocadilho.

Ainda sobre a defesa da festa, passemos a outro assunto que ainda nenhum OCS teve a coragem de abordar.

A defesa da tauromaquia continua a falhar na sua base, a base dos valores e da postura dos seus intervenientes. Imaginem um OCS que tem o seu director com carteira de jornalista, obrigatória por lei, mas que cria uma assessoria de imprensa para alguns cavaleiros, algo que também é impedido pela Comissão da Carteira Profissional de Jornalista? E ainda faz publicidade, também proibida? Pois, tudo isto acontece no reino dos touros.

Analisem as ligações da dita assessora, que envia press-releases de uma linha e sem conteúdo jornalístico, a esse director e então começamos a perceber que a tauromaquia é podre nos seus valores. Basta uma breve pesquisa, garanto-vos.

Claro que falta uma assessoria decente na tauromaquia e a comunicação é mediocre. Mas não vale tudo para ganhar uns trocos e as senhas e trincheira. Os toureiros que investem nessa assessoria hipotecam a sua imagem e devem morrer de vergonha. São cúmplices de incumprimento da lei.

Portanto, meus caros, os anti-taurinos são uns meninos ao pé dos anti-taurinos dentro da festa. A pouco e pouco aproximamos-nos do precipício. E a queda pode ser dura, vertiginosa e de difícil reabilitação.

E depois pensem que esta assessoria, medíocre, apenas envia as amadoras notas de imprensa para a imprensa taurina. Que proveito têm os toureiros disto? Nenhum, porque a essa imprensa já eles chegam!

Por vezes fico na dúvida se alguns agentes da festa são limitados no QI ou é mesmo feitio. São tiros atrás de tiros nos pés.

Por exemplo, sabiam que no Teatro Politeama em Lisboa, está a peça ‘Severa- O Musical’ que retrata a história da considerada mãe do fado e do amor para com o Conde de Vimioso e há uma forte referência à tauromaquia? Pois, não houve um único agente da tauromaquia que tivesse a feliz ideia de criar uma parceria com esta peça ou com a produtora da mesma.

Há coisas que é como somar 1+1 e na tauromaquia continua tudo a assobiar para o lado.

Go to top