Depois de nos últimos anos a Praça de Touros de Alcácer do Sal ter sido gerida pelo empresário Vasco Durão e de nos últimos meses alguns blogues terem noticiado que a referida praça iria estar fechada este ano, a Misericórdia de Alcácer vem agora a publico anunciar que a praça vai mesmo abrir em 2019.

Segundo a informação que nos chegou, “a Santa Casa da Misericórdia de Alcácer do Sal vai aceitar propostas para a cessão de exploração da Praça de Touros João Branco Núncio,  para o triénio de 2019 a 2021.”

Depois de nos últimos anos a Praça de Touros de Alcácer do Sal ter sido gerida pelo empresário Vasco Durão e de nos últimos meses alguns blogues terem noticiado que a referida praça iria estar fechada este ano, a Misericórdia de Alcácer vem agora a publico anunciar que a praça vai mesmo abrir em 2019.

Segundo a informação que nos chegou, “a Santa Casa da Misericórdia de Alcácer do Sal vai aceitar propostas para a cessão de exploração da Praça de Touros João Branco Núncio,  para o triénio de 2019 a 2021.”

Como noticiamos, no passado domingo (17 de Março) a Praça de Touros Celestino Graça, em Santarém, recebeu uma corrida de touros em que foram lidados astados de Cunhal Patrício.

Um dos destaques desta corrida, foi quinto touro, lidado pelo cavaleiro António Ribeiro Telles e que valeu a volta ao ganadero.

Segundo a informação que nos chegou, o touro de nome “Levita” e que pesou 585kg, regressou ao campo, dada a qualidade que apresentou na arena escalabitana.

Conforme o Toureio.pt noticiou a tradicional corrida de touros da Segunda-feira de Páscoa em Sousel, será organizada pela empresa Troféu Ganho, de José Luis Zambujeira.

O cartel está praticamente definido, sendo certo que actuarão os cavaleiros Marcelo Mendes, Cláudia Almeida e Verónica Cabaço.

Serão lidados seis imponentes touros de Herdade de Camarate, estando apenas por definir os Forcados a actuar nesta corrida.

Realizou-se esta terça-feira, mais uma corrida de touros da Feira de Fallas, em Valência. Uma corrida de rejoneo que contou com ¾ de casa.

Lidaram-se touros de Fermin Bohórquez, que permitiram a Sergio Galán, ovação e ovação, a Leonardo Hernandez, silencio e silencio e a Lea Vicens, silencio e duas orelhas.

Fique de seguida com algumas imagens desta corrida:

A Associação Nacional de Toureiros (ANDT) emitiu um comunicado a reclamar oportunidade aos matadores de touros portugueses na Praça de Touros de Las Ventas, em Madrid.

Num comunicado dirigido ao empresário daquela praça, é escrito que “Portugal sempre foi e continua a ser berço de grandes toureiros. Atualmente, a afición portuguesa vive um momento de grande vitalidade e de união em defesa da tauromaquia. Isso faz-se notar pela crescente adesão de público às praças de todo o País. Uma paixão que leva a grande parte dos aficionados a manifestarem-se pelo ressurgimento do toureio a pé, nomeadamente dos matadores de toiros portugueses” e que por isso “esperam ansiosamente pela oportunidade de verem António João Ferreira Tojo, Nuno Casquinha, Manuel Dias Gomes e Joaquim Ribeiro Cuqui confirmarem as respetivas alternativas de Matador de Toiros na Monumental de Las Ventas”.

Perante o anteriormente escrito, “a ANDT - Associação Nacional de Toureiros reclama uma oportunidade, que deveria ser um direito, para qualquer Matador de alternativa. Simon Casas, gerente da monumental de Las Ventas, de Madrid, defensor máximo da internacionalidade da Festa, deveria contemplar os matadores de toiros portugueses na temporada de Madrid”, até porque alega que “somos parte integrante dessa internacionalidade e necessitamos de ter uma comunhão com as outras nações taurinas, no que diz respeito ao toureio a pé”.

Reclamamos, assim, essa oportunidade aos nossos Matadores de toiros, para que Portugal volte a ter entusiasmo a seguir os seus toureiros pelo mundo taurino”, remata o comunicado.

Pablo Hermoso de Mendoza saiu em ombros da corrida realizada ontem em Toluca, México.

Perante touros de várias ganadarias, Pablo Hermoso de Mendoza cortou duas orelhas no primeiro e foi ovacionado no segundo, Marcos Batida foi silenciado após aviso, Joselito Aame foi ovacionado no primeiro e cortou duas orelhas ao segundo e Diego Silveti cortou duas orelhas no primeiro e foi silenciado no segundo.

Realizou-se esta segunda-feira, 18 de Março, na Praça de Touros de Valencia uma corrida de touros mista em que actuou o rejoneador Diego Ventura.

Ventura lidou touros de Los Espartales, tendo sido silenciado no primeiro e cortado uma orelha no segundo.

Actuaram ainda Enrique Ponce, orelha e colhida e Toñete, silenciado nos dois touros que lidou, e no que matou por Enrique Ponce. A pé lidaram-se touros de Olga Jiménez e Parladé (3º).

Este domingo, 17 de Março, realizou-se na Praça de Touros Celestino Graça, em Santarém, a primeira corrida de touros desta temporada e a primeira promovida pela Associação Praça Maior.

Uma corrida de touros que contou com uma grande adesão dos aficionados, que preencheram cerca de ¾ da Monumental de Santarém.

O Toureio.pt falou com Diogo Palha, da Associação Praça Maior a fim de fazer um balanço da primeira corrida, tendo este começado por dizer que “eu acho que não é ainda altura para fazermos balanços. Claro que estamos muito felizes, tivemos uma grande resposta da aficion, uma grande resposta da festa, mostrámos que somos muitos os que gostamos”, acrescentando que “não é a Associação Praça Maior que aqui é importante, importante é que esta praça de Santarém renasça porque ela é fundamental para a defesa da festa”.

Diogo Palha referiu ainda que “todas as praças portuguesas, hoje aqui, estariam esgotadas e com larga diferença. Isso é muito importante! Democratizar o acesso à festa, pessoas com menos recursos que possam comprar bilhetes a 7.50 euros, e que estejam aqui com a zona alta praticamente cheia. Agradecemos muito a aficion esta resposta mas hoje foi só o primeiro dia. Não é altura para balanços, em Junho temos de ser mais ainda!”

Questionado se os objetivos que tinham delineados para a primeira corrida foram atingidos, o elemento da Associação Praça Maior, declarou que “o objectivo que tínhamos para a primeira corrida era reabrir as portas desta praça, esta praça precisava de reabrir as portas de uma forma digna, pintada, bonita…”, confrontado com a questão de a praça não ter chegado a fechar, Diogo Palha é perentório e diz que “não vou entrar nessas questões, mas a praça não estava com a dignidade que a maior praça do país merece. Esta é uma Praça Maior, por isso lhe chamámos assim e que ela esteja bonita para receber as pessoas, espero que os aficionados tenham gostado e sentido isso, e estou convencido que sim. O mais importante é a aficion estar aqui e nós darmos esta resposta, que amamos a festa que faz parte da nossa cultura e da nossa liberdade.”

Já sobre a relação entre a grande entrada de público e os apoios de empresas e nomeadamente da Câmara Municipal de Santarém, Diogo Palha salienta que “isto não se consegue fazer sozinho, consegue-se com muito trabalho e com o envolvimento de muita gente que nos ajudou como já referiu, as empresas, a Câmara Municipal...mas aqui o povo anónimo é o mais importante porque naturalmente são esses que permitem que tenhamos sustentabilidade para fazer isto. Toda a gente sabe que somos amadores, não fazemos disto vida, aliás não temos fins lucrativos mas também não podemos tirar dinheiro de casa. E são essas empresas e entidades que nos ajudaram a ter confiança para fazer isto.”

 

Pág. 1 de 217
Go to top