Imprimir

Pelo sexto ano consecutivo a Praça José Varela Crujo, em Beja, volta a receber o Festival Taurino a favor da Cercibeja. Sem duvida que veio para ficar esta data no calendário taurino nacional. Ao aliar a presença de figuras do toureio à novidade que constitui sempre a presença de novos valores, torna-se num último momento de cada temporada, com atrativo e garantia de jornada bem passada, tal o cuidado da sua montagem, objetivo e seriedade posta, com o exemplo da divulgação, ao intervalo, do resultado obtido.

 

A edição 2013 não foge à regra e como prova disso, houve a necessidade de aumentar para sete o numero de reses a lidar, prova da importância do mesmo.

Atrativo maior, para a festa e para a cidade, o facto de a data passar a constituir mais um facto para história da tauromaquia, tendo como palco a Centenária Varela Crujo. Se já esta época foi palco da estreia em Portugal do rejoneador Manuel Manzanares, de comemoração de aniversários de alternativa dos cavaleiros João Moura, Joaquim Bastinhas e Tito Semedo, chega a cereja em cima do bolo com a apresentação em Praça do mais recente artista do clã Brito Paes, o "caçula" Joaquim (depois de já o ter feito na Beja Brava 2011, num recinto que não uma praça e espetáculo não formal, mas também em Beja) e na Praça onde seu Avô tirou a alternativa à 53 anos e onde se estreou a ganadaria da casa, à 51.

A par e neste fim-de-semana a Beja Brava volta ao parque de feiras e exposições de Beja, como mais um motivo de atracão para que nessa tarde os caminhos dos aficionados vão dar a Beja. Festival de beneficência, com provas dadas, apresentação em público de novo toureiro e promoção da juventude, visita a Beja Brava e um dia bem passado a baixo custo, com diferentes motivos de interesse.

O Cartel integra os consagrados Joaquim Bastinhas, Rui Salvador, Tito Semedo, Sónia Matias e Marcos Bastinhas e a juventude de António Prates (numa das poucas aparições deste caso sério de futuro, em 2013) e a já referida apresentação de Joaquim Brito Paes. Competição e companheirismo nas pegas entre os dois "Grupos da terra", Cascais e Beja. Lidam-se exemplares de diversas ganadarias que abrangem não só as da região como do Alto Alentejo e Ribatejo, a saber: Veiga Teixeira (Lavre-Coruche), Passanha (S. B. Regedouro-Évora),Herdade de Pégoras (Montemor-o-Novo), Brito Paes (Colos-Odemira), Varela Crujo (V.N.S.Bento-Beja), Benjumea (Cuba-Beja) e Passanha Sobral (Baleizão-Beja)

Será no dia 5 de Outubro em Beja.