Mais um triunfo de Garrido, desta vez: BADAJOZ

A frustração da anulação da corrida de dia de São João aguçou a vontade da novilhada de hoje que finalizava o ciclo da feira taurina de Badajoz; três novilheiros punteros que se apresentaram com ganas de triunfo. O acerto na hora de matar fez a diferença na atribuição das orelhas, com o mais velho da terna a somar vantagem e a conseguir o corte de duas orelhas que lhe serviram para abrir a porta grande; e somar ao grande triunfo que teve recentemente no Campo Pequeno, sem falar no importantíssimo de dia 1 de Junho em que abriu a porta do Príncipe na Real Maestranza de Sevilha. Garrido lidou o seu primeiro com ganas, brindou ao público e depois de iniciar por derechazos  é com a seguinte série de naturais que soam os primeiros acordes da filarmónica, mais com a esquerda a um toiro que aguenta bem até ao fim, grande estocada recebendo, corta uma orelha com petição de segunda. Um ajustado quite por chicuelinas emocionou no seu segundo toiro chamava-se Legañoso e serviu na perfeição para Garrido bordar o toureio; colocado nos médios para iniciar a faena de muleta por estatuários sem mirar, o novilho arranca-se em velocidade e imprime-lhe impressionante voltareta, de factura barata felizmente. Recompõe-se e valente constrói uma faena que agradou ao respeitável, meia estocada e um aviso não lhe impediram de cortar mais uma orelha e assegurar a única saída da tarde pela porta grande.
 
Ginés Marin não conseguiu repetir em Badajoz o grande triunfo de Olivença no inicio da temporada; recebeu “Elegido” á porta gaiola com uma larga afarolada de joelhos; encantou por verónicas nos médios para de seguida brindar a Guilhermo Marin, seu Pai e picador da sua quadrilha; cedo o astado acusou a falta de força e não aguentou uma faena ainda por cima larga, um aviso e meia estocada, forte ovação e volta por conta do novilheiro.
“Placentero” foi recebido de joelhos em terra, brindou ao público e aproveitou as francas e alegres investidas do novilho, que andava com a cara pelo chão e perseguia os enganos com vontade, boas séries de derechazos, a segunda rematada com passe de peito, fortes olés, ajustadas manoletinas no remate da lide, o desacerto na hora de matar fez-lhe perder os troféus.
Fernando Flores debutou com picadores esta tarde, foi “Duplicado” o novilho do seu debute ao qual cortou uma orelha; iniciou a faena de muleta nos médios por estatuários, de seguida segue por naturais, música, aproveitou as parcas investidas e forças do novilho com inteligência, boas séries de derechazos numa faena que veio a mais, matou á segunda estocada e cortou uma orelha. O seu segundo novilho chamava-se “Impressionado” era o mais pesado da tarde com quinhentos e cinco quilos e pertencia como todos os outros á ganadaria de Luis Algarra; foi picado e bem pelo jovem Picador Português João Maria Blanco, um dos mais jovens picadores da actualidade que já está a dar muito que falar no País vizinho pelas suas grandes actuações. Como aluno que é da Escola Taurina de Badajoz brindou a lide aos seus membros; uma faena com alguns altos e baixos com evidencia para o “arrimón” que pregou na parte final da mesma, não esteve correcto na hora de matar e foi ovacionado. 
 
 

Para ver

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*