Marcelo, Marcelo, Tauromaquia também é arte e é bem Portuguesa!

“A tauromaquia é, nas suas diversas manifestações, parte integrante do património da cultura popular portuguesa. Entre as várias expressões, práticas sociais, eventos festivos e rituais que compõem a tauromaquia, a importância dos espetáculos em praças de toiros está traduzida no número significativo de espetadores que assistem a este tipo de espetáculos.”, assim diz o Governo Português a quando da aprovação do Regulamento Taurino.

Dada esta classificação da Tauromaquia, podemos considera-la como uma cultura como tantas outras que existem em Portugal e que têm mais ou menos visibilidade, como a música, o teatro, a televisão, pintura, arquitetura, entre outras.

Posto isto que referi anteriormente, devo dizer que as personalidades ligadas à Tauromaquia devem ser tratadas de igual forma a outras ligadas às artes que atrás referi.

É certo que falar publicamente de Tauromaquia, não é para todos e nem todos têm a coragem de o fazer, nem de dar a cara, nem que seja num simples gesto de homenagear alguém no momento do seu falecimento.

Praticamente desde o início do ano, é Presidente da República uma pessoa que admiro pela sua hiperatividade e pelos seus afetos para com o povo português, no entanto, penso que agora esteve menos bem.

Nos seus primeiros 100 dias de mandato tivemos oportunidade de ver o Professor Marcelo ir a muitas festas e cerimónias, homenagear algumas personalidades e enviar as condolências na altura do falecimento de várias personalidades da cultura portuguesa, tendo sido o último caso o de D. Vicente da Câmara, atos que louvamos, pois é sinónimo de um Presidente mais próximo do seu povo.

Fico triste sim, ao ver que uma das maiores personalidades da Tauromaquia portuguesa não foi sequer mencionada, pelo Chefe de Estado, na hora da sua morte. Falo de Mestre David Ribeiro Telles, que faleceu no passado dia 20 de Junho. Um homem que levou o nome de Portugal além-fronteiras, um benemérito, em suma alguém que fez pelas pessoas que o rodeavam, pelas pessoas que nem conhecia, fez pela sua terra e não só, ou seja, alguém que fez obra!

Fico triste ao ver que o Presidente da Republica não se dignificou a enviar publicamente as condolências à Família de Mestre David, tal como o fez, e bem, em tantas outras ocasiões.

É lamentável constatar, que uma vez mais, um representante de Portugal, que antes de ser eleito se deixou fotografar entre as gentes do toiro, inclusive até na trincheira de algumas praças; uma vez eleito, não tem a coragem de pelo menos, mencionar a Tauromaquia, de falar dela e neste caso mencionar alguém que se destacou nesta arte lusa.

Pela obra que fez e deixou, Mestre David Ribeiro Telles merecia pelo menos essa referência, não a teve o Presidente de todos os Portugueses; espero agora que Belém se lembre de uma condecoração.

Despeço-me reafirmando, que a Tauromaquia também é cultura e as suas gentes merecem o mesmo tratamento que outros artistas.

Até sempre Mestre David, até sempre Torero! 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*