“Não se confundem atitudes pessoais, que só a este dizem respeito, com a classe profissional a que pertence”, diz Ass. Nacional de Toureiros sobre o caso de João Moura

72 horas depois de ter vindo a publico o caso dos cães do cavaleiro João Moura, a Associação Nacional de Toureiros reagiu e pede para separar atitudes pessoais da actividade profissional e para não se “ligar a tauromaquia, toureiros e aficionados a este tipo de comportamentos”.

Abaixo, o comunicado na íntegra:

“A Associação Nacional de Toureiros, no seguimento da polémica em torno do cavaleiro tauromáquico João Moura, vem por este meio prestar as seguintes declarações:

Existe uma lei vigente, com um respectivo regime sancionatório sobre maus tratos a animais de companhia, que apoiamos. Repudiamos qualquer ilícito desta ordem que venha a provar-se ter sido cometido por João Moura ou qualquer outro cidadão;

O cavaleiro João Moura é um artista com uma carreira extraordinária no campo da tauromaquia em Portugal e, também, no resto do mundo;

Não se confundem atitudes pessoais, que só a este dizem respeito, com a classe profissional a que pertence. Qualquer tentativa de ligar a tauromaquia, toureiros e aficionados a este tipo de comportamentos é irresponsável e indigna;

A Associação Nacional de Toureiros apela a que se aguarde o normal desenrolar do processo, bem como das investigações criminais e suas conclusões”.